Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9967
Title: Os permanentes fora de área: o acesso e a atenção à saúde para população Sem Terra
Other Titles: The permanents out of area: access and health care for the landless population
Authors: Silva, Mariana de Figueiredo
Keywords: Assentamentos Humanos.;Acesso aos Serviços de Saúde.;Atenção à Saúde.
Issue Date: 4-Dec-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Mariana de Figueiredo Silva.Os permanentes fora de área: o acesso e a atenção à saúde para população Sem Terra. 2019. 32f. Monografia (Graduação em Enfermagem) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2019.
Portuguese Abstract: O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) surgiu em 1984 com o intuito de lutar pela terra, lutar pela reforma agrária e por uma sociedade justa e fraterna. O estudo teve como objetivo identificar a percepção da população Sem Terra sobre o acesso aos serviços de saúde e a atenção à saúde. Trata-se de um estudo exploratório descritivo, de natureza qualitativa, realizado no interior do Rio Grande do Norte. Como participantes da pesquisa compreendem-se os acampados e assentados, totalizando uma amostra de 11 sujeitos, sendo 1 deles líder do MST. A pesquisa foi realizada por meio de entrevista semiestruturada e para o tratamento dos dados foi utilizada a técnica de análise do conteúdo. Os dados obtidos foram categorizados em: A vida no MST que retrata o cotidiano das famílias, suas lutas e dificuldades enfrentadas. As condições de moradia e de trabalho são precárias, a agricultura destina-se ao sustento familiar e a esperança de melhores condições de vida com a posse da terra; e a Atenção à saúde que aborda as ações relacionadas à saúde, sendo restritas e pontuais, dificuldade do acesso aos serviços de saúde em decorrência da distância e a atenção à saúde voltada para o modelo hegemônico. Por fim, o estudo revelou a importância de se melhorar o acesso da população aos serviços com apoio da gestão, a fim de planejar ações de integração ensino-serviço-comunidade atrelada às demais políticas do Ministério da Saúde (MS) com o intuito de promoção à saúde.
Abstract: The Landless Rural Workers Movement (MST) emerged in 1984 to fight for land, fight for land reform and for a just and fraternal society. The study aimed to identify the perception of the landless population about access to health services and health care. This is a descriptive exploratory study of qualitative nature, carried out in the interior of Rio Grande do Norte. The research participants included the campers and settlers, totaling a sample of eleven subjects, one of them being the leader of the MST. The research was conducted through semi-structured interviews and the data analysis technique was used for content analysis. The data obtained were categorized as: The life in the MST that portrays the daily lives of families, their struggles and difficulties faced. Housing and working conditions are precarious, agriculture is destined for family support and the hope of better living conditions with land tenure; and Health Care that addresses health-related actions, being restricted and punctual, difficulty in accessing health services due to distance and health care focused on the hegemonic model. Finally, the study revealed the importance of improving the population's access to services with management support, in order to plan education-service-community integration actions linked to other policies of the Ministry of Health (MS) with the purpose of promoting the health.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9967
Other Identifiers: 2015099193
Appears in Collections:FACISA - Enfermagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ospermanentesfora_Silva_2019.pdf
Restricted Access Until 2022-12-10
Ospermanentesfora_Silva_2019387,15 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons