Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9808
Título: Função pulmonar, qualidade de vida e padrão do sono em hipertensos
Título(s) alternativo(s): Pulmonary function, quality of life and sleep pattern in hypertensive patients
Autor(es): Cruz, Hélen Rainara Araújo
Palavras-chave: Hipertensão; Qualidade de Vida; Sonolência;Hypertension; Quality of life; Somnolence
Data do documento: 31-Out-2019
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: CRUZ, Helen Rainara Araújo. Função pulmonar, qualidade de vida e padrão do sono em hipertensos. 2019. 39f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, RN, 2019.
Resumo: Introdução: A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é uma doença crônica não transmissível que aponta dados de prevalência alarmantes. No Brasil, em 2018, 24,7% da população das capitais apresentaram diagnóstico de HAS. Considerando as alterações estruturais, funcionais e cardiovasculares, apresenta repercussões negativas na capacidade ventilatória, qualidade de vida e de sono destes indivíduos. Objetivo: Avaliar a capacidade ventilatória, a qualidade de vida e sonolência diurna em hipertensos, e de forma secundária, comparar estas variáveis em dois grupos divididos segundo a sonolência diurna. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional, analítico, transversal e descritivo, com amostra por conveniência, desenvolvido no Laboratório de Motricidade e Fisiologia Humana da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA). Foi analisada a capacidade ventilatória, qualidade de vida e de sono, por meio da análise pela Espirometria; Questionário SF-12; e Questionário de Cronotipos de Munique (MCTQ) e Escala de Epworth, respectivamente. Resultados: A capacidade ventilatória apresentou discreta diminuição, com força muscular inspiratória diminuída. Em relação à qualidade de vida o subescore para o componente físico foi de 55,6±18%, o subescore para o componente mental 64±18% e o escore total foi de 61,1±16,5%, classificando com boa qualidade de vida. Já índice de sonolência diurna foi classificado com pouca sonolência. Houve diferença estatisticamente significativa para a capacidade ventilatória segundo o índice de sonolência diurna (p=0,004*). Conclusão: Foi possível concluir que há uma diminuição na capacidade ventilatória e na força muscular inspiratória. Bem como, os indivíduos com maior sonolência diurna apresentaram menor ventilação voluntária máxima, e de forma isolada, pouca sonolência e boa qualidade de vida.
Abstract: Introduction: Systemic Arterial Hypertension (SAH) is a chronic noncommunicable disease that indicates alarming prevalence data. In Brazil, in 2018, 24.7% of the capitals population diagnosed with hypertension. Activating alterations, functions and cardiovascular, has negative repercussions on the ventilatory capacity, quality of life and sleep of these individuals. Objective: To evaluate ventilatory capacity, quality of life and daytime sleepiness in hypertensive patients, and the secondary form, to compare these variables in two groups divided according to daytime sleepiness. Methodology: this is an observational, analytical, cross-sectional and descending study, with a convenience sample, developed at the Laboratory of Human Motricity and Physiology, Trairi Health Sciences School (FACISA). Ventilatory capacity, quality of life and sleep were analyzed by spirometry analysis; SF-12 questionnaire; and Munich Chronotype Questionnaire (MCTQ) and Epworth Scale, respectively. Results: The ventilatory capacity is slightly decreased, with decreased muscle inspiratory force. Regarding quality of life or subscale for physical component was 55.6 ± 18%, or subscale for mental component 64 ± 18% and the total score was 61.1 ± 16.5%, classifying with good quality of life. . The daytime sleepiness index was classified as low sleepiness. There was a statistically significant difference in ventilatory capacity according to the daytime sleepiness index (p = 0.004 *). Conclusion: It was concluded that there is a decrease in ventilatory capacity and inspiratory muscle strength. As well as, individuals with higher daytime sleepiness had lower maximum voluntary ventilation, and in isolation, poor sleepiness and good quality of life.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9808
Outros identificadores: 20150130877
Aparece nas coleções:FACISA - Fisioterapia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Funçaopulmonar_HAS_HelenCruz_2019.pdfMonografia605,28 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons