Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9799
Title: Monitoramento audiológico infantil: panorama atual no Rio Grande do Norte
Other Titles: Child audiological monitoring: current panorama in Rio Grande do Norte
Authors: Freitas, Amanda Vitória de Carvalho
Keywords: Triagem auditiva. Perda auditiva. Agentes Comunitários de Saúde.;Hearing screening. Hearing Loss. Community Health Agents.
Issue Date: 29-Nov-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FREITAS, Amanda Vitória de Carvalho. Monitoramento audiológico infantil: panorama atual no Rio Grande do Norte. 2019. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fonoaudiologia) – Departamento de Fonoaudiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Introdução: O monitoramento de crianças com Indicador de Risco para Deficiência Auditiva (IRDA) é fundamental para identificar precocemente perdas auditivas. Objetivo: analisar se os encaminhamentos de crianças com IRDA para o monitoramento audiológico estão de acordo com o que preconiza as diretrizes nacionais e de forma articulada com a atenção básica (AB). Metodologia: Estudo transversal descritivo, aprovado pelo Comitê de Ética. Participaram 56 crianças. Foi realizada uma entrevista com os pais envolvendo a adesão da família ao monitoramento, os IRDA e o acompanhamento pela Estratégia de Saúde da Família (ESF). Além disso, foi aplicado um questionário de monitoramento do desenvolvimento da audição e linguagem e, posteriormente, realizada avaliação audiológica, norteada pelo princípio cross check. Resultados: Das 55 crianças que buscaram o monitoramento audiológico, 19 (34,5%) o fizeram na faixa etária recomendada, 13 (23,6%) compareceram antes dos sete meses e 23 (41,8%) buscaram após a idade estabelecida nas diretrizes. Os IRDA mais frequentes foram permanência na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal por mais de cinco dias, baixo peso (<1.500 kg) e hiperbilirrubinemia. Somente 44 crianças (78,5%) apresentaram de fato algum IRDA e 38 (67,8%) informaram receber visita da ESF, porém, apenas seis (10,7%) foram acompanhadas quanto a audição e linguagem pela Atenção Básica. 14 (25%) crianças foram identificadas como “de risco” no questionário e o motivo da falha relacionou a linguagem. Nenhuma perda auditiva permanente foi identificada. Conclusão: a etapa de monitoramento audiológico ainda constitui um desafio no estado do Rio grande do Norte, quanto a faixa etária, encaminhamentos e a articulação com a Atenção Básica.
Abstract: Introduction: A monitoring child with risk factor for hearing loss is essential to identify early. Objective: To analyze if the referrals of children with risk factor for audiological monitoring are in accordance with national guidelines and in articulation with primary care in health. Method: Descriptive cross-sectional study, approved by the Ethics Committee. 56 children participated. An interview was conducted with parents involving family adherence to monitoring, risk factors and follow-up with the Family Health Strategy (FHS). In addition, a questionnaire for monitoring the development of hearing and language was applied and, subsequently, an audiological assessment was conducted, guided by the cross check principle. Results: Of the 55 children that made audiological monitoring, 19 (34.5%) did so within the recommended age group, 13 (23.6%) attended before seven months and 23 (41.8%) after the established age in the guidelines. The most frequent risk factor for hearing loss were stay in the Neonatal Intensive Care Unit for more than five days, underweight (<1,500 kg) and hyperbilirubinemia. Only 44 children (78.5%) had a true risk factor and 38 (67.8%) reported receiving a visit from the FHS, but only six (10.7%) were followed for hearing and language by Primary Care. 14 (25%) children were identified as “at risk” in the questionnaire and the reason for the failure were related language. No permanent hearing loss was identified. Conclusion: the audiological monitoring stage is still a challenge in the state of Rio Grande do Norte, regarding age, referrals and articulation with Primary Care.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9799
Other Identifiers: 2016089020
Appears in Collections:Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monitoramentoaudiológicoinfantilpanorama_FREITAS_2019
Restricted Access Until 2021-12-06
Trabalho submetido em periódico.
Texto Completo1.03 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons