Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9472
Title: Prevalência de interações medicamentosas potenciais em prescrições de pacientes psiquiátricos internados em hospital geral
Authors: Lima, Rony Jeijo
Keywords: Interação medicamentosa, Prevalência, Psiquiatria.
Issue Date: 5-Nov-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: LIMA, Rony Jeijo Amaro de. Prevalência de interações medicamentosas potenciais em prescrições de pacientes psiquiátricos internados em hospital geral. 2019. 40f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Farmácia) - Departamento de Farmácia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: Interações medicamentosas referem-se à interferência de um fármaco na ação de outro ou de um alimento ou nutriente na ação de medicamentos. Embora seus resultados possam ser tanto positivos (aumento da eficácia) como negativos (diminuição da eficácia, toxicidade ou idiossincrasia), elas são, geralmente, imprevistas e indesejáveis na farmacoterapia. O presente trabalho tem como objetivo identificar e classificar as principais interações medicamentosas das prescrições médicas dos pacientes psiquiátricos atendidos no Hospital Universitário Onofre Lopes. Foram identificados 38 pacientes internados, nos 6 leitos da enfermaria deste hospital, no período de julho a dezembro de 2017 e, através da base de dados MICROMEDEX, foi realizada a pesquisa das interações medicamentosas por paciente. A análise das prescrições desses pacientes demonstrou 71 tipos de interações medicamento-medicamento. Das interações medicamento-medicamento, as mais prevalentes, de uma forma geral. foram: Haloperidol x Prometazina (12,7%), em que o uso concomitante aumenta o risco do prolongamento do intervalo QT; Carbonato de Lítio x Haloperidol (6,6%), onde o uso concomitante aumenta o risco de discinesia, sintomas extrapiramidais e encefalopatia; Carbonato de Lítio x Prometazina (5,6%), onde o uso concomitante aumenta o risco de discinesia, sintomas extrapiramidais e encefalopatia; Metoclopramida x Haloperidol (50%), onde o uso concomitante aumenta o risco de reações extrapiramidais e síndrome neuroléptica maligna e Carbonato de Lítio x Olanzapina (3,5%), que aumenta o risco de discinesia, sintomas extrapiramidais e encefalopatia. A análise das prescrições pelo farmacêutico clínico no âmbito do estudo das interações proporciona alguns ganhos para o processo, como a possibilidade de monitoramento da interação em questão por meio de exames, aprazamento de horário, resposta terapêutica do fármaco e algumas vezes ainda, possibilita a sugestão de mudança terapêutica, minimizando dessa forma a ocorrência de eventos adversos, aumentando a segurança do paciente.
Abstract: Drug interactions refer to the interference of one drug in the action of another or a of food or nutrient in the action of medications. Although their results may be both positive (increased efficacy) and negative (decreased efficacy, toxicity or idiosyncrasy), they are generally unanticipated and undesirable in pharmacotherapy. The present study aimed to identify and classify the main drug interactions of the medical prescriptions of psychiatric patients attended at the University Hospital Onofre Lopes. Thirty-eight (38) hospitalized patients were followed from July to December 2017 , employing the evidence-based me-dical information database MICROMEDEX. The drug interactions per patient research was carried out. Analysis of the prescriptions of these patients showed 71 sorts of drug-drug interactions. Of the drug-drug interactions, the most prevalent were: a) Haloperidol x Promethazine, which concomitant use increases the risk of prolonging the QT interval (12,6 %); b) Lithium Carbonate x Haloperidol, which the concomitant use increases the risk of dyskinesia, extrapyramidal symptoms and encephalopathy (6,6%); c) Lithium Car-bonate x Promethazine, in which the concomitant use increases the risk of dyskinesia, extrapyramidal symptoms and encephalopathy (5,6%); d) Metoclopramide x Haloperidol, in which the concomitant use increases the risk of extrapyramidal reactions and neurolep-tic malignant syndrome (50%) and e) Lithium Carbonate x Olanzapine, in which the con-current use increases the risk of dyskinesia, extrapyramidal symptoms and encephalopa-thy (3,55%). The prescriptions analysis by the clinical pharmacist provided some gains for the process, such as the possibility of monitoring the interaction in question through exa-minations, scheduling, therapeutic response of the drug and sometimes even allowing the suggestion of therapeutic change, thus minimizing the occurrence of adverse events.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9472
Other Identifiers: 2012943872
Appears in Collections:Farmácia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PrevalênciaInteraçõesMedicamentosas_LIMA_2019Texto Completo562.07 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons