Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9210
Title: Corporatização e eficiênca das concessionárias de saneamento básico brasileiras no período de 2012 a 2017
Authors: Souza, Melissa Fernandes Marinho
Keywords: Saneamento Básico;Eficiência Dinâmica;Eficiência Intertemporal;DSBM
Issue Date: 21-Jun-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SOUZA, Melissa Fernandes Marinho de. Corporatização e eficiência das concessionárias de saneamento básico brasileiras no período de 2012 a 2017. 2019. 79f. Monografia (Graduação em Ciências Contábeis) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Departamento de Ciências Contábeis, Natal, RN, 2019.
Portuguese Abstract: O presente trabalho trata da análise da eficiência dinâmica intertemporal do setor de saneamento básico brasileiro. Dessa maneira, o estudo aplica a técnica Data Envelopment Analysis – DEA em seu modelo aditivo em séries temporais denominado de Dynamic Slack Based Model – DSBM, buscando encontrar evidências que mostrem se as concessionárias estão consumindo os seus recursos de forma eficiente. Utiliza também a Análise de Correspondência combinada com o Teste Qui-quadrado, que evidencia a relação existe entre a natureza jurídica das empresas estudadas e seus escores de eficiência. Este trabalho tem como objetivo geral classificar a eficiência dinâmica intertemporal das concessionárias brasileiras de saneamento básico em função da corporatização no período de 2012 a 2017. Em seguida, foi mensurado o nível de eficiência dinâmica intertemporal com aplicação em um conjunto composto por 62 concessionárias brasileiras de água e esgoto. Os resultados revelaram que o desempenho das concessionárias brasileiras é, em média, 76,16% para todos os anos do painel e não está sinalizando ganhos de produtividade, pois no ano 2017 obteve o menor escore médio de eficiência (72,8%). Também foi revelado que 24% das concessionárias estudadas apresentaram escore de eficiência excelente e estão na fronteira de eficiência, enquanto 76% das concessionárias apresentaram escores classificados com algum nível de ineficiência. Os resultados mostraram também que as empresas corporatizadas de propriedade privada foram as que obtiveram os maiores escores de eficiência. As regiões que apresentaram os menores índices de eficiência foram a Norte e a Nordeste, já as regiões Sudeste e Centro-oeste apresentaram os melhores escores.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/9210
Other Identifiers: 2014070252
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CorporatizacaoEEficiencia_Souza_20191.5 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons