Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8985
Title: Adenomas Hipofisários clinicamente não funcionantes: Hemianopsia Bitemporal é o padrão mais frequente?
Authors: Fraiman, Pedro Herinque Almeida
Keywords: Doenças da Hipófise;Transtornos da visão;Neoplasias Hipofisárias;Pituitary Diseases;Vision Disorders;Pituitary Neoplasms
Issue Date: 5-Jun-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FRAIMAN, Pedro Henrique Almeida. Adenomas Hipofisários clinicamente não funcionantes: Hemianopsia Bitemporal é o padrão mais frequente? 2018. 7 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina), Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: Os adenomas hipofisários clinicamente não funcionantes (AHCNF) são frequentemente diagnosticados após o surgimento dos sintomas visuais por compressão de estruturas adjacentes do sistema nervoso central. Devido o crescimento tumoral complexo, o padrão clássico de acometimento visual de hemianopsia bitemporal está colocado à prova frequentemente. MÉTODOS: Prontuários de setenta e sete pacientes com diagnóstico de AHCNF com campimetria e estudos de neuroimagem foram analisados quanto ao padrão de acometimento visual, extensão parasselar e tamanho tumoral. RESULTADOS: Hemianopsia bitemporal não foi o padrão mais frequente (14,3%). O padrão mais frequente foi o acometimento de pelo menos 3 quadrantes unilateral ou bilateral em 37,7% dos pacientes. O somatório dos padrões mais severos do que o clássico foi encontrado em 46,8% dos pacientes e extensão parasselar em 67,1% dos pacientes. A média da maior extensão tumoral no diagnóstico é 31,5 ± 16 mm. CONCLUSÕES: O padrão clássico de hemianopsia bitemporal não foi o mais observado entre os pacientes estudados. A frequência superior de padrões mais severos e extensão parasselar indica diagnóstico tardio dos AHCNF e maior severidade dos casos.
Abstract: INTRODUCTION: The Clinically Non-Functioning Pituitary Adenomas (CNFPA) are often diagnosed after onset of visual symptoms by compression of adjacent structures of the central nervous system. Due the complex tumor growth, the classic pattern of visual impairment, the bitemporal hemianopsia, is often challenged. METHODS: Medical records of seventy-seven patients diagnosed with CNFPA with campimetry and neuroimaging studies available were analyzed for the pattern of visual impairment, parasellar extession and tumor size. RESULTS: Bitemporal hemianopsia was not the most frequent pattern (14.3%). The most frequent pattern was the defect of at least 3 quadrants, either unilateral or bilateral in 37.7% of the patients. The sum of more severe patterns than classic pattern was found in 46.8% and parasellar extension in 67.1% of the patients. The mean of the largest tumoral dimension is 31.5 ± 16 mm. CONCLUSION: The classic pattern of bitemporal hemianopsia was not the most observed among the patients studied. The higher frequency of more severe patterns and parasellar extension indicate late diagnosis of CNFPA and greater severity of the cases.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8985
Other Identifiers: 2013068115
Appears in Collections:Medicina

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AdenomasHipofisáriosclinicamente_Fraiman_2018
???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.accessRestricted???
Texto Completo155.15 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.