Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/881
Título: Discriminação genética no ambiente de trabalho.
Autor(es): OLIVEIRA, Andressa Lays Lopes
Palavras-chave: Testes preditivos;Intimidade genética;Discriminação genética
Data do documento: 2014
Editor: Direito
Referência: OLIVEIRA, Andressa Lays Lopes. Discriminação genética no ambiente de trabalho. 2014. 88f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Departamento de Direito, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Abstract: A aplicação dos conhecimentos genéticos à medicina moderna possibilitou a detecção de enfermidades ainda antes do surgimento de sintomas, através dos chamados testes preditivos. A possibilidade de predizer a saúde futura de um indivíduo despertou, ainda no século passado, o interesse patronal dentro das relações de emprego. O acesso irrestrito aos dados genéticos do trabalhador poderia conduzir a uma visão reducionista do ser humano, adstrita à sua condição genética. A consequência clara seria a discriminação laboral dos portadores de mutações genéticas e predisposição à doenças. O presente estudo se prestará a análise sobre a legitimidade da realização de testes preditivos sobre os empregados, uma vez que o genoma encontra-se na esfera mais íntima do ser humano e portanto, merece especial proteção normativa.
Descrição: Participaram da Banca Examinadora os Professores Erick Wilson Pereira (UFRN) e Karoline Lins Câmara Marinho de Souza (UFRN).
URI: http://monografias.ufrn.br:8080/jspui/handle/123456789/881
Aparece nas coleções:Direito

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AndressaLLO_Monografia.pdfTexto completo895,79 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons