Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8800
Title: Dançando com a diversidade
Authors: Lopes, Luana Rachel de Araújo
Keywords: Dança.;Dance;Diversidade;Educação;Inclusão;Transtorno do espectro autista
Issue Date: 19-Jun-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: LOPES, Luana Rachel de Araújo. Dançando com a diversidade. 2019 29 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Dança) - Departamento de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.
Portuguese Abstract: É notável as demandas e as indagações sobre o autismo que ainda é um campo desconhecido para educadores e familiares. O espectro possui graus diversos e uma infinidade de sintomas que se tornam diferentes para cada unidade enquanto organismo. A síndrome pode se apresentar nos primeiros anos da vida e não sabemos as causas e sua origem, pois seu surgimento é complexo, o que pode adiar o seu diagnóstico precoce, e apresenta vários quadros comportamentais, tais como a inabilidade no relacionamento interpessoal, atraso na aquisição da fala e dificuldades motoras. Em relação ao convívio social e educacional, temos a LDB 9.394/96 utilizada como dispositivo legal que defende o ensino regular disponível para educandos com transtornos globais de desenvolvimento, para que os autistas tenham acesso à escola e possam desenvolver habilidades sociais e intelectuais de acordo com seus limites. O objetivo desse estudo é verificar as possibilidades de vivenciar a dança na perspectiva inclusiva com alunos com transtornos do espectro autista e perceber como os conteúdos de dança podem ser aplicados e que tipos de estratégias poderiam ser utilizadas. Para isto, realizamos uma revisão bibliográfica a qual vários autores dialogam sobre a importância da dança inclusiva para o desenvolvimento de alunos com TEA (Transtorno do Espectro Autista). Nesse dialogo conclui-se que a dança é uma ferramenta potente que transforma a rotina em um diálogo entre o indivíduo e o meio externo e até mesmo com as pessoas que compartilham este espaço. As escolas precisam investir nas vivências em dança com a finalidade de estabelecer a comunicação, tentando efetivar uma relação com o meio externo e com as pessoas que estão inseridas nele. Dançar é aprender a vivenciar, se reconhecer como potência. Descobrir sem regras impostas e dialogar com o mundo em via dupla, interpretando as proposições que nos são dadas e dizendo sim para as diversidades.
Abstract: It is notable the demands and the inquiries about the autism that is still a unknown field for educators and family. The spectrum has diverge degrees and an infinity of symptoms that become different for each unity as organism. The syndrome can show up in the first years of the life and we do not know the causes and their origin, because its appearance is a complex, wich can delay its early diagnosis, and presents several behavioral frameworks, such as the inability in the interpersonal relationship, delay in acquisition of the speech and motor difficulties. In relation to social and education living, we have the LDB 9.394/96 used as a legal device that the available regular teaching defends for learners with global developmental disorders, so that the autistic persons have access to the school and can develop social and intellectual skills in accordance with his limits. The objective of this study is to verify the possibilities of experiencing dance in an inclusive perspective with students how dance contents can be applied and what type of strategies could be used. So, we realized a literature review was elaborated to which several authors discuss the importance of inclusive dance for the development of students with ASD (Autism Spectrum Disorder). In this dialogue it is concluded that the dance is a powerful tool that transforms the routine into a dialogue between the individual and the external environment and even with the people who share this space. The schools need to invest in dance experiences in order to establish communication, trying to effect a relationship with the external environment and with the people who are part of it. To dance is to learn to experience, to recognize oneself as a power. To discover without imposed rules and to dialogue with the world in double way, interpreting the propositions that are given to us and saying yes to the diversities.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8800
Other Identifiers: 2015035140
Appears in Collections:Dança

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dança - Inclusão - Educaçao - TEA - Lopes - Monografia.pdf500.61 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons