Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8748
Title: Determinantes da estrutura de capital de empresas brasileiras de capital aberto
Authors: Felix, Ellen Cecília Santos
Keywords: Estrutura de capital;Dados em painel;Companhias abertas brasileiras
Issue Date: 11-Jun-2019
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FELIX, Ellen Cecília Santos. Determinantes da estrutura de capital de empresas brasileiras de capital aberto. 2019. 42f. Monografia (Graduação em Ciências Contábeis) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Departamento de Ciências Contábeis, Natal/RN, 2019.
Portuguese Abstract: As implicações da estrutura de capital são questionadas desde o início dos estudos na área de finanças empresariais e possui marco no trabalho de Modiglian e Miller (1958) no qual questionam a relevância dessa estrutura para o valor da empresa. Desde então várias teorias se propõe a explicar os determinantes da estrutura de capital das empresas como a teoria trade off, a teoria pecking order, teoria da agência. Nesse sentido, o presente trabalho buscou identificar os fatores determinantes da estrutura de capital das empresas brasileiras de capital aberto listadas na B3, no período de 2010 a 2018, por meio das teorias e variáveis elencadas pela literatura. Foi utilizada a técnica de regressão com análise de dados em painel numa amostra de 107 empresas com três modelos de regressão para verificar a influência das variáveis no endividamento total, no endividamento de curto prazo e no endividamento de longo prazo. Como resultado, as variáveis tangibilidade, rentabilidade e accruals discricionários demonstraram maior correlação, as variáveis tamanho, market to book, Q-Tobin, e liquidez corrente também demonstraram poder explicativo para o endividamento. Exceto pela variável Q-Tobin, as variáveis apresentaram relação esperada pela teoria pecking order corroborando suas conjecturas e os accruals discricionários confirmam relação entre o gerenciamento de resultados e endividamento. Dessa forma, a teoria pecking order e a assimetria da informação denotaram maior esclarecimento para determinação do endividamento das empresas brasileiras de capital aberto.
Abstract: The implications of the capital structure have been questioned since the beginning of the studies in the area of corporate finance and have a milestone in the work of Modiglian and Miller (1958) in which they question the relevance of this structure to the value of the company. Since several theories are proposed to explain the determinants of firms' capital structure such as trade off theory, pecking order theory, agency theory. In this sense, the present work sought to identify the determining factors of the capital structure of the Brazilian listed companies listed in B3, between 2010 and 2018, through the theories and variables listed in the literature. The regression technique with panel data analysis was used in a sample of 107 firms with three regression models to verify the influence of variables on total indebtedness, short-term indebtedness and long-term indebtedness. As a result, variables such as size, market to book, Q-Tobin, and current liquidity also showed explanatory power for indebtedness. Except for the variable Q-Tobin, the variables presented a relation expected by pecking order theory corroborating their conjectures and the accruals discricions confirm the relationship between the management of results and indebtedness. Thus, the pecking order theory and the asymmetry of information denoted greater clarification for determining the indebtedness of Brazilian publicly traded companies.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8748
Other Identifiers: 2015040866
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DeterminantesEstruturaCapital_Felix_2019450.77 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons