Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8196
Title: Autoavaliação da saúde da população brasileira residente no Nordeste e fatores sociodemográficos: um estudo de associação com base na Pesquisa Nacional de Saúde 2013
Authors: Nascimento, Daiane Lima do
Keywords: Amostragem complexa;Teste de independência;Correção de Rao-Scott;Não-resposta;Calibração;Complex sampling;Independence test;Rao-Scott correction;Nonresponse;Calibration
Issue Date: 17-Dec-2018
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: NASCIMENTO, Daiane Lima do Nascimento. Autoavaliação da saúde da população brasileira residente no Nordeste e fatores sociodemográficos: um estudo de associação com base na Pesquisa Nacional de Saúde 2013. 2018. 76f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Estatística) - Departamento de Estatística, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: A autoavaliação de saúde é um indicador subjetivo, mas está associado a estilos de vida, comorbidades e mortalidade. Uma fonte de dados que possibilita a estimação desse indicador para a população brasileira é a Pesquisa Nacional de Saúde, 2013, que se baseia em uma amostra estratificada com seleção de conglomerados em múltiplos estágios. Usando dados desta pesquisa, este trabalho busca testar a hipótese de independência entre o estado de saúde auto-referido e variáveis sociodemográficas na população adulta do Nordeste brasileiro, além de descrever essas associações. A subamostra analisada abrange cerca de 19.419 domicílios permanentes particulares e 18.305 respondentes. Aplicando-se testes de independência incorporando-se a estrutura do plano amostral foram detectadas fortes evidências estatísticas de associação da saúde auto-referida com as variáveis sexo, faixa etária, nível de instrução e situação habitacional e de associação moderada entre o indicador de saúde e raça. Em geral, observa-se que moradores adultos do sexo feminino, que tem mais anos de idade, não possuem instrução ou têm apenas o fundamental incompleto e residem em região rural estão associados à autoavaliação de saúde regular ou ruim/muito ruim. Também, moradores do sexo masculino, com maior escolaridade e que vivem em regiões urbanas estão associados à saúde auto-referida como boa ou muito boa.
Abstract: Health self-assessment is a subjective indicator, but it is associated with lifestyles, comorbidities, and mortality. One source of data that makes it possible to estimate this indicator for the Brazilian population is the National Health Survey 2013, which is based on a stratified multi-stage cluster sample. Using data from this survey, this work seeks to test the hypothesis of independence between the self-reported health status and sociodemographic variables in the adult population of the Brazilian Northeast, in addition to describing these associations. The subsample analyzed covers approximately 19,419 private permanent households and 18,305 respondents. Applying independence tests incorporating the sampling plan structure, strong statistical evidence of self-reported health association was detected with the variables gender, age group, educational level and housing status and a moderate association between the health indicator and race. In general, it is observed that adult female residents, who are older, have no or lower education and reside in rural areas are associated with regular or poor or very poor health self-assessment. Also, male residents with higher education living in urban areas are associated with good or very good self-reported health.
URI: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8196
Other Identifiers: 2012977781
Appears in Collections:Estatística

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AutoavaliaçãoSaúdePopulaçãoBrasileira_Nascimento_2018.pdf1.02 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons