Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/8078
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMortatti, Arnaldo Luis-
dc.contributor.authorMelo, Márcio Augusto Barros de-
dc.date.accessioned2018-12-19T13:48:01Z-
dc.date.available2018-12-19T13:48:01Z-
dc.date.issued2018-11-30-
dc.identifier20170016412pt_BR
dc.identifier.citationMELO, Márcio Augusto Barros de. Tempo gasto em comportamento sedentário por praticantes de treinamento funcional de alta intensidade: um estudo com acelerometria. 2018. 29f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/8078-
dc.description.abstractWith the technological advances and the behavioral changes it is noticed the population has been moving less and spending even more time in a sedentary behavior (SB). In the attempt to raise the levels of physical activity every day rise new training programs. Knowing the benefits of the time spent with moderate/vigorous physical activity each day programs of High Intensity Functional Training (HIFT) have been gaining more adepts. Objectifying verify the time spent in a sedentary behavior (SB) of HIFT practitioners, were analyzed 8 practitioners (29 ± 7 years old; 84±14 Kg; 174±10 cm, 27,7±2,3 kg/m2; time of practice 16±10,4 months). The volunteers used the wGT3X-BT, Actgraph® accelerometer during 7 days, including a weekend. It was verified that the sedentary behavior and light physical activity’s time did not show any big difference when compared the days with and without training, however the moderate/vigorous physical activities levels showed great differences: 619,4 ±124,3 minutes to the days without training and 585,0 ±275,7 minutes to days with training. But the MVPA’s level was higher in the days of training (39,8 ±10,4 minutes) in relation to the days without training (10,1±5,9 minutes). With this data, we assume the HIFT’s practitioners have a predisposition to spend more time in SB when they are not in a practice day, which lead us to believe the HIFT reduces the time spent in SB. However, besides the reduction of the time spent in SB, at least in the HIFT days of practice, the data are still alarming.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortept_BR
dc.rightsCC0 1.0 Universal*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/publicdomain/zero/1.0/*
dc.subjectComportamento Sedentáriopt_BR
dc.subjectTreinamento Funcional de Alta Intensidadept_BR
dc.subjectEducação Físicapt_BR
dc.subjectUFRNpt_BR
dc.titleTempo gasto em comportamento sedentário por praticantes de treinamento funcional de alta intensidade: um estudo com acelerometriapt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.contributor.referees1Mortatti, Arnaldo Luis-
dc.contributor.referees2ELSANGEDY, HASSAN MOHAMED-
dc.description.resumoCom os avanços tecnológicos e as mudanças comportamentais é notado que a população vem se movimentando menos e gastando cada vez mais tempo em comportamento sedentário (CS). Na tentativa de elevar os níveis de atividade física (AF) crescentemente surgem novos programas de treinamento. Sabendo dos benefícios do tempo gasto em atividade física moderada/vigorosa a cada dia os programas de treinamento funcional de alta intensidade (TFAI) vem ganhando mais adeptos. Objetivando verificar o tempo gasto em CS de praticantes de TFAI, foram analisados 8 praticantes (29±2,7 anos; 84±14 Kg; 174±10 cm, 27,7±2,3 kg/m2; tempo de prática 16±10,4 meses). Os voluntários utilizaram o acelerômetro wGT3X-BT, Actgraph® durante 7 dias, incluindo um final de semana. Foi verificado que o tempo de CS e de atividade física leve (AFL) não apresentaram diferença significante quando comparado os dias com treino e os dias sem treino, no entanto os níveis de atividade física moderada/vigorosa (AFMV) apresentaram diferença significativa ( 619,4 (±124,3) minutos para os dias que não houveram treino e 585,0 (±275,7) para os dias que houve treino). Entretanto o nível de AFMV foi maior nos dias de realização do treino (39,8 ±10,4) minutos em relação aos dias de não treino (10,1 ±5,9) minutos. Com esses dados sabemos que os praticantes de TFAI tendem a gastar mais tempo em CS quando não estão em seus dias de prática, o que nos leva a crer que o TFAI faz reduzir o tempo gasto em CS. No entanto apesar da diminuição do tempo gasto em CS, elevação dos níveis de AFL nos dias de prática de TFAI, os dados ainda são preocupantes devido as correlações existentes entre DCNTs e CS, principalmente por se tratarem de relações independentes do nível de AF.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEducação Física - Bachareladopt_BR
dc.publisher.initialsUFRNpt_BR
dc.contributor.referees3Batista, Elias dos Santos-
Appears in Collections:Educação Física (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tempogastocomportamento_2018_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo334.31 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons