Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/7577
Title: Efeito da telmisartana na mucosite oral em hamsters: análise macroscópica e histopatológico
Authors: Câmara Júnior, Roberto Vieira da.
Keywords: Estomatite;Espectrometria de Fluorescência;Bloqueadores do receptor tipo 1 de angiotensina II
Issue Date: 19-Jun-2018
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CÂMARA JÚNIOR, Roberto Vieira da. Efeito da telmisartana na mucosite oral em hamsters: análise macroscópica e histopatológico. 2018. Monografia (Graduação) - Departamento de Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: A mucosite oral (MO) se refere a uma condição inflamatória bastante comum e debilitante da terapia antineoplásica (radioterapia e/ou quimioterapia), principalmente nas regiões de cabeça e pescoço. A MO é caracterizada pelo eritema oral, dor e ulceração e formações pseudomembranosas na cavidade oral, orofaringe e hipofaringe. O objetivo desse estudo é avaliar a atividade pleitrópica do Telmisartana (TEL), um bloqueador dos receptores AT2 de angiotensina II, no tratamento da mucosite oral (MO) induzida por 5-Fluorouracil (5-FU), um agente antineoplásico. METODOLOGIA: A Telmisartana foi administrada diariamente, por via oral em diferentes doses (1, 5 e 10 mg/Kg). A mucosite oral foi induzida nos hamsters pela administração de 5-fluorouracil (5-FU) no 1º e 2º dia do experimento nas doses de 60 e 40 mg/kg, i.p., respectivamente. No 4° dia, após anestesia com xilazina e quetamina as mucosas jugais dos animais foram escoriadas mecanicamente com o auxílio de uma agulha de ponta romba, a fim de reproduzir os sinais clínicos da irritação crônica e como fator potenciador para a mucosite, ou seja, conferindo um trauma mecânico (TM). No 10º dia, os animais foram eutanasiados e subsequentemente as mucosas jugais foram fotografadas para a análise macroscópica. Os parâmetros avaliados incluem presença e intensidade de eritema, hiperemia, hemorragia, úlceras e abscessos, classificados conforme escores padronizados de zero a quatro. Posteriormente, as amostras foram encaminhadas para análise microscópica, avaliando-se os aspectos inflamatórios como presença e intensidade do infiltrado celular, dilatação e ingurgitamento vascular, hemorragia, edema, úlceras e abscessos, classificados também de acordo com escores padronizados de zero a quatro. RESULTADOS: Os resultados obtidos demonstraram que o tratamento com o telmisartana nas doses de 5 e 10 mg/kg diminuiram significativamente os escores histopatológicos e macroscópicos quando comparados ao grupo 5-fluorouracil. CONCLUSÃO: Portanto, pode-se afirmar que o Telmisartana preveniu a mucosite oral no modelo experimental em hamsters induzido por 5-FU.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/7577
Other Identifiers: 2013087012
Appears in Collections:Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[2018.1] Efeito da telmisartana na mucosite oral em hamsters análise macroscópica e histopatológico..pdfTrabalho de conclusão de curso - odontologia 2018.1618.69 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.