Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/7298
Title: “Onde estão as meninas para brincar com a gente?” uma análise da cultura popular como ferramenta de emancipação humana
Authors: Souza, Karolyny Alves Teixeira de
Keywords: Cultura popular;Coco de roda;Educação popular;Interseccionalidade;Identidade;Emancipação
Issue Date: 2018
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SOUZA, Karolyny Alves Teixeira de. “Onde estão as meninas para brincar com a gente?” uma análise da cultura popular como ferramenta de emancipação humana. 2018. 67f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia), Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
Portuguese Abstract: Compartilho aqui o relato de experiência no Programa de Extensão Trilhas Potiguares vivenciada nos municípios de Taipú e Jardim de Angicos, localizados no interior do Rio Grande do Norte. Por se caracterizar como um projeto onde se busca a interação entre universidade e comunidade, numa relação de troca e reconhecimento de múltiplos saberes, priorizando o respeito à cultura, as tradições locais e ao saber popular, pensei em desenvolver atividades que dialogassem com a esfera do corporal e do sensível. Na perspectiva de vivenciar a cultura popular, seus saberes e tradições, redescobrir e se identificar, foram vivenciadas oficinas de confecção de instrumentos percussivos a partir de materiais reutilizáveis, xilogravura, capoeira, coco de roda, filtro dos sonhos e arte pela cidade, que foram permeados pelo fundamento da sabedoria de mestras e mestres da cultura popular, relacionada a proposta metodológica do Jogo da Construção Poética (Machado, 2017) e dos fundamentos da Educação Popular desenvolvidos por Paulo Freire(1987). O coco de roda é aqui considerado como a brincadeira que perpassa por toda essa vivência, que nos conecta à cultura popular e dá formas a essas experiências. As análises que dela resultam são fundamentadas nos diálogos sobre liberdade e emancipação a partir da perspectiva das mulheres negras,observando as intersecções entre raça, classe e gênero (DAVIS, A. 1997)para pensar a relação com as meninas, que juntas construímos uma ciranda de confiança, onde despertamos sentidos corporais, descobrimos afinidades e (des)construímos perspectivas da vida social, a partir da observação das relações sociais e patriarcais de gênero.Desse modo, acreditamos que esse trabalho tem importância por fazer emergir raízes históricas e trabalhar aspectos culturais de maneira lúdica e participativa, levando em consideração o saber do outro envolvido na ação, fortalecendo assim a cultura popular e o respeito às diferenças. Contribuindo para a compreensão da mulher negra como um ser autônomo e capaz de construir sua própria história.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/7298
Other Identifiers: 2014091412
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Onde estão as meninas_Souza_2018.pdfMonografia em serviço social1.65 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.