Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/7059
Title: Dependência química: a repercussão do uso do crack na vida do usuário de seus familiares e sociedade
Authors: Batista, Gabriele da Silva
Keywords: Dependência química;Questão social;Política social;Capitalismo
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: BATISTA, Gabriele da Silva. Dependência química: a repercussão do uso do crack na vida do usuário de seus familiares e sociedade. 2013. 81f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social), Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: O presente trabalho tem como objetivo analisar as implicações sócio-históricas sobre o uso abusivo de drogas, especialmente, o uso do crack e suas implicações na vida do sujeito usuário, família e demais relações sociais. A análise parte de uma abordagem teórica acerca dos determinantes biológico, psicológico e social que influenciam no uso e abuso de drogas. Nesse processo buscamos estabelecer interlocução e contribuir com análises que buscam desvelar os fundamentos conservadores que reforçam o preconceito, a moralização e a criminalização de usuários de drogas, tratados, em sua maioria, como pessoas “vagabundas”, “perigosas” e de “mau caráter”. Ressaltamos a importância da saúde pública, assim como de outras políticas sociais públicas, na prevenção e tratamento da dependência química, como estruturas de intervenção estratégica no enfrentamento ao processo de barbárie social que, na realidade social brasileira, atualmente, envolve o ciclo de produção, comercialização e consumo de drogas. Para a construção do trabalho empreendemos uma pesquisa bibliográfica e documental, de natureza qualitativa e inspirada numa perspectiva teórico-metodológica, crítico-dialética. Os resultados do processo investigativo conduziu-nos à constatação de que dependência química é uma questão de saúde pública e identificar as determinações sociais do problema é de fundamental importância. Situar nesse processo o modelo de sociabilidade, as condições com as quais os sujeitos vivem e se reproduzem, os desafios, possibilidades e limites do seu tempo histórico, são bases sócio-históricas cruciais às abordagens teóricas mais totalizantes. O modelo capitalista vigente promove mudanças não só na produção, como também, no meio social e cultural. Assim, vale insistir sobre a necessidade de se conhecer com propriedade a Questão Social e suas expressões de miséria, violência, desigualdade social, retração da ação do Estado nas distribuição de recursos e investimentos nas diversas áreas sociais. Essas são determinações que rebatem dramaticamente em problemáticas sociais como as drogas, que são também expressão da ausência de educação, saúde, trabalho, cultura, lazer, de condições de vida e proteção social para os sujeitos e as famílias, conformando assim um cenário de barbárie marcado pelo genocídio social, sobretudo, da juventude pobre.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/7059
Other Identifiers: 2009027310
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GabrieleSB_Monografia.pdfMonografia em Serviço Social550,91 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.