Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/7011
Título: O pleno emprego e a geração “nem nem” de exclusão no Brasil
Autor(es): Queiroz, Juliana Muniz Fernandes de
Palavras-chave: Intervenção na economia;Juventude;Geração “nem nem”;Redução de desigualdades
Data do documento: 2014
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: QUEIROZ, Juliana Muniz Fernandes de. O pleno emprego e a geração “nem nem” de exclusão no Brasil. 2014. 32f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia), Departamento de Direito, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Resumo: Desde a formação do Estado Moderno começou a existir a utilização de normas para amoldar as relações econômicas, de forma que variava a proporção e a direção das intervenções estatais na economia ao sabor do sistema político-filosófico-econômico em vigor. Em nosso país essa intervenção é mais recente, está alicerçada na valorização do trabalho humano e tem por finalidade assegurar existência digna em conformidade com os ditames da justiça social, tendo por um dos princípios condutores para a finalidade, função social, o princípio da busca do pleno emprego. No Brasil e no mundo a implementação do estado de pleno emprego enfrenta a problemática da geração “nem nem”, jovens que não estão estudando e nem trabalhando, e sofrem a exclusão fruto do sistema econômico capitalista vigente. O presente artigo retrata esse problema estrutural e mostra a importância da intervenção estatal na promoção de políticas públicas de redução de desigualdades regionais e dos empecilhos ao acesso a escola e ao trabalho pela juventude.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/7011
Outros identificadores: 2009071980
Aparece nas coleções:Direito

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JulianaMFQ_Monografia.pdfMonografia em Direito151,92 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.