Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6991
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMoraes, José Diniz de-
dc.contributor.authorSilva, Bruno Athayde-
dc.date.accessioned2018-07-31T14:22:30Z-
dc.date.available2018-07-31T14:22:30Z-
dc.date.issued2014-
dc.identifier2009017439pr_BR
dc.identifier.citationSILVA, Bruno Athayde. Racionalidade aristotélica na validade da apreciação das provas e sua fundamentação jurídica racional dos fatos. 2014. 85f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Departamento de Direito, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6991-
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsopenAccesspr_BR
dc.subjectAristótelespr_BR
dc.subjectLógicapr_BR
dc.subjectDialéticapr_BR
dc.subjectFatospr_BR
dc.titleRacionalidade aristotélica na validade da apreciação das provas e sua fundamentação jurídica racional dos fatospr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Moraes, José Diniz de-
dc.contributor.referees2Medeiros, Morton Luiz Faria de-
dc.description.resumoA história do mundo ocidental ainda mantém uma estrutura de linguagem aristotélica na pesquisa e na opinião da verdade.Em razão disto, julgou-se ser proveitoso pesquisar se há no processo judicial o discurso aristotélico-tomista sobre a verdade. Interessou verificar se nas fundamentações dos fatos e na apreciação probatória utilizada como atividade lógica para conhecimento dos fatos existe alguma contribuição do pensamento aristotélico, além de investigar se o discurso aristotélico participa da validade dos discursos de fatos que são discutidos no processo. Para a elaboraçao deste trabalho foram consultados materiais bibliográficos ligados à filosofia, ao processo e à filosofia do direito. Com a finalidade de fundamentar esta investigação considerou-se importante incluir a explicação de como ocorreu a racionalizaçao do “processo” e como a lógica aristotélica contribuiu para a ciência do direito. A análise histórica realizada sobre o tema demonstrou que a lógica aristolélica predominou do século XIII até o início do século XX, quando, em razão do conhecimento provável dos fatos, foi retomado o estudo da dialética, considerada uma disputa racional, na qual os contendores utilizam argumentos prováveis. Atualmente, a estrutura do processo moderno permite a disputa dialética. Desta maneira, é preciso destacar que a pesquisa da verdade recebeu influências da filosofia grega, especialmente, da filosofia aristotélica.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentDireitopr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
dc.contributor.referees3Souza, Karoline Lins Câmara Marinho de-
Appears in Collections:Direito

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BrunoAS_Monografia.pdfMonografia em direito887.35 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.