Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6959
Title: Análise crítica da resolução nº 175/2013 do Conselho Nacional de Justiça
Authors: Freitas, Ana Cláudia Lins Fídias
Keywords: Direito homoafetivo;União homoafetiva;Constituição Federal;Supremo Tribunal Federal;Conselho Nacional de Justiça;Processo Legislativo;Limites da Interpretação conforme a Constituição
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FREITAS, Ana Cláudia Lins Fídias. Análise crítica da resolução nº 175/2013 do Conselho Nacional de Justiça. 2014. 63f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia) – Departamento de Direito, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.
Portuguese Abstract: A necessidade de tutela dos direitos homoafetivos não é novidade no cenário jurídico brasileiro. As discussões acerca do tema remontam, no mínimo, à Assembleia Nacional Constituinte, que promulgou a Constituição Federal de 1988. Desde então, dado o dinamismo da sociedade, principalmente em se tratando das relações interpessoais, caminha-se para uma cultura de aceitação das diferenças e do repúdio ao preconceito que chega até o Poder Judiciário na tentativa de serem solucionados casos reais nos quais são invocados os princípios fundamentais da dignidade da pessoa humana, da igualdade, da liberdade e da privacidade como propulsores de uma tutela jurídica que ainda não apresenta lei específica sobre o assunto. Neste pórtico, em 2011, a Suprema Corte de Justiça Brasileira se manifestou acerca das uniões homoafetivas – demandas extremamente recorrentes – reconhecendo-as constitucionais e dando-lhes os mesmos efeitos jurídicos atribuídos às uniões entre pessoas de sexos distintos e, dois anos após a referida decisão, o Conselho Nacional de Justiça expediu uma resolução regulamentando o casamento civil. Dessa maneira, o presente trabalho tem como cerne a atuação do Poder Judiciário e dará destaque à concreção de uma análise técnica e crítica a respeito do trâmite percorrido pelo Judiciário desde o posicionamento do Supremo Tribunal Federal sobre as uniões homoafetivas até a atuação do Conselho Nacional de Justiça ao editar a Resolução nº 175/2013, demonstrando-se a importância do respeito ao Processo Legislativo Constitucional e aos limites da interpretação conforme a Constituição.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6959
Other Identifiers: 2009017358
Appears in Collections:Direito

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnaCLFF_Monografia.pdfMonografia em Direito1.36 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.