Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6589
Título: Atenção ao Pré-Natal de alto risco na Maternidade Escola Januário Cicco: Um estudo sobre a adequação às portarias e normas técnicas vigentes no período de fevereiro a junho de 2013
Autor(es): Diógenes, Thaysa Senna
Palavras-chave: Pré-Natal;Alto Risco;Normatização
Data do documento: 2013
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citação: DIÓGENES, Thaysa Senna. Atenção ao Pré-Natal de alto risco na Maternidade Escola Januário Cicco: Um estudo sobre a adequação às portarias e normas técnicas vigentes no período de fevereiro a junho de 2013. 2013. 113f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) – Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
???metadata.dc.description.resumo???: Este trabalho tece reflexões sobre as condições objetivas da assistência ao pré-natal de alto risco oferecidas pela Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC). Sua finalidade foi verificar se o referido serviço encontra-se adequado a Portaria nº 1020, 29 de maio de 2013, considerando que há exigências especiais a aumentar a segurança e garantir eficiência, eficácia e efetividade na atenção à saúde das gestantes de alto risco. A metodologia utilizada foi pesquisa bibliográfica e documental. Analisamos documentos do Ministério da Saúde, especialmente Portarias e Normas Técnicas; Relatório do Conselho Municipal de Saúde de Natal/RN; Relatório de Estágio, Curricular. Constatamos que o sistema público de saúde vivencia enormes dificuldades, que se refletem na MEJC, dentre as quais, destacam-se a falta de estrutura, insuficiência de profissionais e leitos bem como a superlotação. Conclui-se que, embora haja muitos problemas e inadequações, a MEJC atende a maioria das exigências exigidas pela citada Portaria, sobretudo no que se refere à equipamentos novos e alto grau de especialização da equipe multiprofissional. Os principais problemas internos à própria unidade vinculam-se aos fortes resquícios do modelo assistencial tradicional, ancorado na fragmentação, burocratização e superespecialização. Requer efetivas mudanças na perspectiva de atender aos dispositivos da Politica de Humanização da Saúde, bem como efetivas melhorias nas condições de serviço de pré-natal de alto risco, sobretudo instalações, formação permanente e a instalação de mecanismos de gestão participativa como ouvidoria e conselhos gestores paritários e deliberativos para que usuários e trabalhadores possam participar ativamente das grandes decisões e contribuir para melhorar a qualidade da assistência prestada. Portanto, requer organização dos usuários e trabalhadores da saúde no sentido de unificar a luta para efetivar assistência de saúde do pré-natal de alto risco com qualidade e respeito às usuárias e respectivos acompanhantes.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6589
Aparece nas coleções:Serviço Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ThaysaSD_Monografia.pdf865,48 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.