Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6541
Title: Ampliação do teste rápido de HIV em crianças e adolescentes.
Authors: Lucentini, Daniella Camargo
Keywords: adolescentes;AIDS;crianças;HIV
Issue Date: Mar-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: LUCENTINI, Daniella Camargo; LINS, Ruthineia Diógenes Alves Uchoa (Orient.). Ampliação do teste rápido de HIV em crianças e adolescentes. 2017. 13f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Especialização em Gestão da Política de DST, AIDS, Hepatites Virais e Tuberculose – Educação a Distância) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Ampliar a testagem rápida diagnóstica do HIV em crianças (com mais de 18 meses) e adolescentes, a fim de minimizar o atraso do diagnóstico do HIV nessas faixas etárias, constitui o objetivo deste projeto de intervenção. Para tanto, serão realizados encontros semanais, durante o período de um mês, dentro do Serviço de Assistência Especializada (SAE), em conjunto com médicos e enfermeiros das Unidades Básicas de Saúde (UBS), para a capacitação da testagem rápida de HIV e discussão acerca da suspeição clínica do diagnóstico tardio do HIV em crianças e adolescentes, utilizando, para isso,uma abordagem teórico-prática. Com isso, pretende-se padronizar a implantação do teste rápido diagnóstico do HIV em todos os filhos, até 20 anos, de mulheres vivendo com HIV/aids e das parceiras de homens soropositivos, realizar o seguimento das crianças expostas ao HIV até os 2 (dois) anos de idade e o acompanhamento das parceiras gestantes e lactantes soronegativas, com testagem mensal e orientação até 6 meses após o término da amamentação. Com relação ao aspecto clínico da aids, destaca-se que é a velocidade de progressão da doença que tem implicado a idade de apresentação do quadro clínico ao pediatra. Na maioria dos casos (80%), esse padrão de progressão é lento, levando, assim,à apresentação de sinais e sintomas clínicos característicos da doença somente na idade escolar ou até mesmo na adolescência. Sendo assim, é necessário alto nível de suspeição clínica para o diagnóstico do HIV em crianças (maior que 18 meses) e adolescentes, aliado à padronização da testagem rápida diagnóstica do HIV em gestantes, bem como nos filhos até 20 anos de mulheres soropositivas e nas parceiras de homens vivendo com HIV/aids, para minimizar o diagnóstico tardio em crianças e adolescentes e diminuir o risco de progressão da doença.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6541
Other Identifiers: 20162009988
Appears in Collections:Especialização sobre Gestão das Políticas de DST/Aids, Hepatites Virais e Tuberculose

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DANIELA LUCENTINI.docxTCC completo95.98 kBMicrosoft Word XMLView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.