Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6496
Título: Como reduzir o abandono do tratamento do HIV/AIDS em pacientes de Tabatinga/AM.
Autor(es): Gomes Júnior, Arnoldo Ferreira
Palavras-chave: HIV, Tratamento e Adesão
Data do documento: Mai-2017
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: GOMES JUNIOR, Arnoldo Ferreira; NORO, Luiz Roberto Augusto (Orient.). Como reduzir o abandono do tratamento do HIV/AIDS em pacientes de Tabatinga/AM. 2017. 15 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Especialização em Gestão da Política de DST, AIDS, Hepatites Virais e Tuberculose – Educação a Distância) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Resumo: A adesão é potencialmente capaz de reduzir o risco da transmissão do HIV e de resistência aos medicamentos antirretrovirais. A transmissão de cepas virais resistentes é um problema em expansão, fortemente relacionado com a não-adesão ao tratamento. Os determinantes da adesão podem ser agrupados em categorias, que incluem: o paciente, o profissional de saúde, a relação profissional-paciente, a doença, o serviço de saúde e o regime terapêutico. O presente estudo tem como objetivo aumentar a taxa de adesão do tratamento antirretroviral dos pacientes que vivem com HIV/aids no município de Tabatinga – Amazonas. Para isso, visa capacitar os profissionais no manejo do HIV/aids e a elaboração de fluxos que melhorem as estratégias de atenção as pessoas que vivem com HIV/aids - PVHA e que também possam empoderá-las para adesão ao tratamento e autocuidado. O projeto de intervenção será desenvolvido no Serviço de Atendimento Especializado em HIV/aids - SAE e Atenção Básica - AB do município de Tabatinga – Amazonas. Utilizar um plano terapêutico singularizado é uma ótima ferramenta de trabalho, pois pode ser discutido entre a equipe interdisciplinar e avaliar os fatores de riscos não apenas na perspectiva clínica. Cumpre também papel social, econômico e afetivo, uma vez que vai considerar todas as variáveis na avaliação do risco. Empodera e fortalece os pacientes tanto como usuários do serviço, como em sua autonomia enquanto cidadão.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6496
Outros identificadores: 20162009370
Aparece nas coleções:Especialização sobre Gestão das Políticas de DST/Aids, Hepatites Virais e Tuberculose

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC GOMES JUNIOR, A.F.pdfArtigo principal382,81 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.