Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6479
Title: Sífilis congênita no Rio de Janeiro: como frear o avanço desta doença?
Authors: Vasconcelos, Leonardo Pinto
Keywords: Sífilis Congênita, Prevenção de Doenças e Controle.;Congenital Syphilis, Disease Prevention and Control.
Issue Date: 4-Apr-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: VASCONCELOS, Leonardo Pinto; MACEDO, Isa Maria Hetzel de (Orient.). Sífilis congênita no Rio de Janeiro: como frear o avanço desta doença? 2017. 24f. Revisão Sistemática da Literatura. (Especialização em Gestão em HIV/Aids/Hepatites Virais e Tuberculose – Educação a Distância) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível de disseminação hematogênica e está presente em muitos países, infectando cerca de 12 milhões de pessoas anualmente pelo mundo. A sífilis congênita, que resulta da transferência transplacentária do Treponema pallidum, é uma doença que pode ser evitada desde que corretamente diagnosticada e se a gestante infectada e seus parceiros sexuais forem tratados. As práticas preconizadas pelo Ministério da Saúde durante o pré-natal são efetivas para a prevenção deste agravo. Este estudo teve por objetivo apontar possíveis formas de enfrentamento à sífilis congênita. A metodologia empregada foi a revisão sistemática da literatura. É importante implementar medidas que visem à redução do avanço da sífilis congênita, sendo elas: criação de grupos de estudo da transmissão vertical; construção de protocolo para a sífilis; desenvolvimento de estratégias inovadoras por parte dos gestores; criação de um programa estadual de proteção à gestante; promoção da melhoria da qualidade do pré-natal; tratamento adequado da sífilis tanto para a gestante quanto para o parceiro; inserção do parceiro nas consultas de pré-natal; responsabilização dos profissionais; promoção da melhoria da qualidade das notificações e registros.
Abstract: Syphilis is present in many countries, infects around 12 million people annually worldwide, is a Sexually Transmitted Infection of hematogenous dissemination. Congenital syphilis is a disease that can be prevented since it correctly diagnosed and treated the infected pregnant woman and her sexual partners. The practices advocated by the Ministry of Health during prenatal care are effective for the prevention of this condition. The objective of this study was to identify possible ways of coping with congenital syphilis. The methodology used was the systematic review of the literature. It is important to implement measures that aim to reduce the progression of congenital syphilis, such as: creation of vertical transmission study groups, protocol construction for syphilis; Creation of innovative strategies by managers; Creation of a State Program for the Protection of Pregnant Women; Improve the quality of prenatal care; Adequate treatment of syphilis, both for the pregnant woman and the partner; Insertion of the partner in prenatal consultations; Professional accountability; Improve the quality of notifications and records.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6479
Other Identifiers: 11977445764
Appears in Collections:Especialização sobre Gestão das Políticas de DST/Aids, Hepatites Virais e Tuberculose

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Leonardo AVASUS para envio (2).docxArtigo Principal83.63 kBMicrosoft Word XMLView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons