Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6476
Title: Sistema prisional Brasileiro: o paradoxo do carcére como forma de ressocialização
Authors: Farias, Jessica Ilma da Costa
Keywords: Sistema penitenciário;Violência;Criminalidade;Ressocialização;Políticas públicas;PRONASCI
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: FARIAS, Jessica Ilma da Costa. Sistema prisional brasileiro: o paradoxo do carcére como forma de ressocialização. 2013. 56f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) – Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: O presente trabalho analisa o Sistema Penitenciário Brasileiro, com enfoque na questão da ressocialização dos sentenciados num espaço de contradições legais e práticas trazendo um breve histórico de como surgiram às primeiras formas de punição, impulsionadas pela organização social e a necessidade de criarem regras de convivência. Aponta como o sistema punitivo privativo de liberdade não atende aos anseios da prevenção e ressocialização, sendo, contudo, o mais utilizado para punir crimes graves no país. Trata as prisões como instituições que ocupam um lugar de poder, constituindo-se sob tendências normatizadoras, sob o ideal que apresenta os complexos penitenciários como um lugar necessário para que o exercício da justiça e proteção social sejam reais. Apresenta a existência do universo prisional como espaço reprodutor da mecanização das atividades cotidianas, invadindo as relações humanas e suas necessidades específicas, abduzindo a subjetividade dos sujeitos, criando um ambiente de constante tensão, desconfiança e instabilidade. Denuncia como a Lei e o Estado usam da coação e da violência para tornar possível o controle social. Afirma que o cárcere é incapaz de oferecer segurança aos apenados e a sociedade extramuros, e sua incapacidade em promover um convívio seguro com a sociedade, que também não está preparada para recebê-lo, denota um movimento contrário à que se propõe a Constituição Federal de 1988 e a Lei de Execução Penal.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6476
Other Identifiers: 2010032667
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JessicaICF_Monografia.pdf436,48 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.