Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/6004
Title: Seleção de habitats por grupos tróficos de aves em ambiente de caatinga do Rio Grande do Norte, Brasil
Authors: Gomes, Luis Felipe Silveira
Keywords: Caatinga;Caatinga;Grupos tróficos;Trophic groups;Estrutura da vegetação;Vegetation structure
Issue Date: 30-Nov-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GOMES, Luis Felipe Ferreira. Seleção de habitats por grupos tróficos de aves em ambiente de caatinga do Rio Grande do Norte, Brasil. 2017. 37 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas)- Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, 2017.
Portuguese Abstract: A Caatinga é caracterizada pela alta heterogeneidade ambiental e forte sazonalidade climática, condições que afetam diretamente na distribuição das comunidades de aves e na escolha de habitats. Estudos sobre o relacionamento entre as comunidades de aves e a estrutura da vegetação são escassos na Caatinga. Com isso, este estudo teve como objetivo analisar as relações de preferência nas estruturas de vegetação entre diferentes tipos de grupos tróficos de comunidades de aves, na Estação Ecológica do Seridó, Rio Grande do Norte, fazendo uma análise entre os períodos seco e chuvoso. Para isso, foram feitas coletas de dados da avifauna local por meio de captura com redes ornitológicas. Onde, de acordo com o número de capturas, foi estimado a riqueza de grupos tróficos. Para os dados da estrutura de vegetação foram coletadas as densidades de árvores, diâmetro na altura do solo (DAS) das árvores, altura das árvores, densidade de herbáceas e dossel. Foram feitas ao todo 8.225 capturas de aves, sendo 5.327 no período chuvoso e 2.898 no período seco, sendo 27 espécies de insetívoros, 10 de granívoros, 5 de onívoros, 3 de nectarívoros e 2 de frugívoros. As diversidades de grupos tróficos nos períodos seco e chuvoso foram diferentes (F1, 95 = 24,7; p = 0,001). Para frugívoros não houve resultados significativos. Em onívoros, apenas no período chuvoso houve resultado significativo em relação à densidade de árvores (F1, 42 = 4,5; p = 0,0002). Para nectarívoros houve relação negativa quanto à variável dossel (F1, 42 = 3,9; p = 0,001). Em granívoros, no período seco, houve resultados significativos apenas quanto à densidade de árvores (F1, 42 = 14,5; p = 0,0001) e quanto ao dossel (F1, 42 = 14,5; p = 0,001), sendo uma relação positiva e negativa respectivamente. Enquanto que no período chuvoso houve apenas uma relação negativa quanto à densidade de árvores (F1, 42 = 5,1; p = 0,0002). Já os insetívoros, no período seco, tiveram relação positiva quanto à densidade de árvores (F1, 42 = 9,9; p= 0,003) e relação negativa quanto ao dossel (F1, 42 = 9,9; p = 0,002). No período chuvoso tiveram relação também positiva quanto à densidade de árvores (F1, 42 = 2,6; p = 0,01). Com isso, conseguimos mostrar no trabalho resultados de como as comunidades de aves locais se comportam em um ambiente sazonal tropical em relação à estrutura do habitat.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/6004
Other Identifiers: 2013086294
Appears in Collections:Ciências Biológicas (bacharelado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SeleçaoHabitats_Gomes_2017.pdfMonografia2.86 MBMicrosoft Word XMLView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.