Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5919
Title: Qualidade da auditoria no Brasil: um estudo da aderência ao CPC 25 em instituições bancárias listadas na B3
Authors: Silva, Diego Lucas de Pontes
Keywords: Auditoria independente;Bancos;Provisões;Passivos contingentes
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Diego Lucas de Pontes. Qualidade da auditoria no Brasil: Um estudo da aderência ao CPC 25 em instituições bancárias listadas na B3. 2017. 69f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Contábeis), Departamento de Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Dentre as empresas de capital aberto da B3, as instituições bancárias atraem considerável interesse de investidores devido ao montante de ativos que administram e os resultados que são alcançados por elas. Essas e outras informações contábeis são imprescindíveis na tomada de decisão e é fundamental que as instituições divulguem relatórios financeiros confiáveis aos seus usuários. Nesse cenário a auditoria independente é um dos principais agentes na redução da assimetria da informação contábil e do aumento da confiabilidade dos demonstrativos financeiros por ela verificados. No entanto, escândalos recentes no mundo corporativo têm colocado em cheque essa confiança, desse modo, o objetivo desta pesquisa é investigar se a auditoria independente realizada sobre as demonstrações contábeis das instituições bancárias listadas na B3 apresenta qualidade, considerando como critério técnico o cumprimento dos itens exigidos na divulgação de provisões e passivos contingentes pelo Pronunciamento CPC 25, aprovado nas instituições bancárias pela Resolução BACEN/CMN nº 3.823/09. Para tanto foram verificados: demonstrativos contábeis, notas explicativas, relatórios dos auditores independentes e formulários de referência publicados por 27 instituições bancárias listadas na B3 referentes aos períodos findos em 2014 e 2015. Os resultados apontaram que não existe qualidade uniforme na opinião emitida pela auditoria independente em instituições bancárias, tendo como critério técnico os itens de divulgação obrigatórios para provisões e passivos contingentes, considerando a baixa divulgação dos itens analisados e a não emissão das omissões atestadas nas demonstrações contábeis dessas instituições no parecer dos auditores.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5919
Other Identifiers: 2011061017
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DiegoLPS_Monografia.pdfCiências Contábeis 1.04 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.