Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5894
Title: Leucemia mielóide crônica: uma revisão de literatura
Authors: Peixoto, Paloma Pinheiro de Aquino
Keywords: Leucemia mielóide crônica;Chronic Myelogenous Leukemia;Cromossomo Philadelphia;Philadelphia chromosome;Fatores de risco;Risk factors
Issue Date: 4-Dec-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PEIXOTO, Paloma Pinheiro de Aquino. Leucemia mielóide crônica: uma revisão de literatura. 2017. 53 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina)- Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, 2017.
Portuguese Abstract: Este trabalho objetivou realizar um levantamento bibliográfico sobre a leucemia mielóide crônica (LMC) em bases de dados científicas a fim de obter um melhor conhecimento sobre esta neoplasia. A LMC é uma doença mieloproliferativa crônica, um tipo de câncer não hereditário que se desenvolve na medula óssea e é caracterizada pela presença do Cromossomo Philadelphia (Ph), originado por uma translocação recíproca nos cromossomos 9 e 22. O cromossomo Ph é responsável pela produção do gene quimérico BCR-ABL, o qual codifica uma proteína de fusão com atividade tirosina quinase exacerbada e que está relacionada com a patogênese da doença. A LMC é mais comum nos adultos em uma faixa etária superior a 45 anos e o curso clínico da doença é dividido em três fases: uma fase crônica, considerado o período inicial da doença, podendo durar meses ou anos; uma fase acelerada, na qual a doença progride mais rapidamente e ocorre uma intensificação dos sintomas, além de diminuição da resposta terapêutica e, por fim, uma fase blástica, considerada de pior prognóstico, pois pode haver muitas complicações decorrentes da agudização da neoplasia e uma consequente falta de resposta ao tratamento. Entre os principais exames diagnósticos tem-se o hemograma, apresentando hiperleucocitose, aparecimento de células imaturas e aumento de eosinófilos e basófilos; outros exames como mielograma, análises citogenéticas e moleculares também são essenciais para o diagnóstico da LMC. Em relação às opções terapêuticas, existem diversos medicamentos inibidores de tirosina-quinase - utilizados nos pacientes positivos para o cromossomo Ph - e que, na grande maioria das vezes, são bem tolerados e fornecem uma boa expectativa de vida, além da possibilidade de realização do transplante de medula óssea, desde que atendidos os critérios para tal procedimento. Assim, apesar da leucemia mielóide crônica ser uma doença grave e preocupante, o avanço tecnológico na medicina humana vem crescendo dia após dia e trazendo novas medidas terapêuticas com maior possibilidade de cura e mais esperança para os pacientes.
Abstract: This work aimed to perform a bibliographic survey on chronic myeloid leukemia (CML) in scientifc databases in order to obtain a better knowledge about this disease. CML is a myeloproliferative disease, a type of non-hereditary cancer that develops in the bone marrow. It is characterized by the presence of the Philadelphia (Ph) chromosome, originated by a translocation in chromosomes 9 and 22. The Ph chromosome is responsible for the production of an enzyme, BCR-ABL, which is related to the pathogenesis of the disease. CML is more common in adults in the 40-year age group. The clinical course of the disease is divided into three phases: a chronic phase, which is the initial period of the disease, and may last for months or years. An accelerated phase, in which the disease progresses more rapidly and an intensification of the symptoms occurs, and finally a blast phase, the worst period of the disease, when many complications may occur and lack of response in the treatment. Regarding diagnostic exams we can mention the hemogram, showing hyperleukocytosis, the appearance of immature cells and increase of eosinophils and basophils, other exams such as myelogram, cytogenetic and molecular analyzes are also essential for the diagnosis of CML. As for the treatment, there are several tyrosine kinase inhibitor drugs, that are well tolerated by patients in most cases providing a good life expectancy. There is also bone marrow transplantation as a therapeutic form of the disease. Thus, although chronic myelogenous leukemia is a serious and worrying disease, the technological advance in human medicine has been increasing day by day and bringing new therapeutic measures with greater possibility of cure and more hope for patients.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5894
Other Identifiers: 2013092380
Appears in Collections:Biomedicina

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LeucemiaMielóideCrônica_Peixoto_2017.pdfMonografia1.48 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.