Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5776
Title: Efeitos da riqueza de espécies e da diversidade filogenética no sucesso da restauração de uma floresta ripária
Authors: Moura, Janara Lisiany de Oliveira
Keywords: Biodiversidade e funcionamento de ecossistemas;Biodiversity and ecosystem functioning;Crescimento de plantas;Plant growth;Experimento de restauração;Restoration experiment
Issue Date: 23-Jun-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MOURA, Janara Lisiany de Oliveira. Efeitos da riqueza de espécies e da diversidade filogenética no sucesso da restauração de uma floresta ripária. 2017. 46 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ecologia)- Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, 2017.
Portuguese Abstract: A diversidade biológica é o recurso na qual todas as nações são exclusivamente dependentes. Ela é a base da saúde do planeta que, por sua vez, está sendo fortemente impactada por fatores antrópicos, como a perda de habitats. A diminuição da diversidade biológica tem gerado grande preocupação no meio científico, sendo necessários estudos direcionados a entender como a perda de espécies afeta o funcionamento dos ecossistemas. Diversos estudos revelam a importância da diversidade de plantas para o funcionamento dos ecossistemas, porém, até hoje, poucos trabalhos avaliaram o funcionamento de ecossistemas em ambientes restaurados e, também, como a diversidade de plantas afeta o sucesso das atividades de restauração de áreas degradadas. Nesse sentido, foi desenvolvido um experimento de restauração às margens de um riacho perene localizado no município de Monte Alegre (NE, Brasil) para avaliar os efeitos da riqueza de espécies e de sua diversidade filogenética sob a sobrevivência e o crescimento de nove espécies de plantas nativas da região. Utilizando uma árvore filogenética que continha 47 espécies de plantas (entre árvores e arbustos) de ocorrência natural na área de estudo, foram selecionadas nove espécies arbóreas para montar o experimento. Como a árvore filogenética possuía três clados principais, foram selecionadas três espécies de cada clado. Assim, o experimento foi delineado contendo cinco níveis de diversidade: (i) tratamento controle (solo nu), (ii) monocultura, (iii) três espécies aparentadas (provenientes do mesmo clado), (iv) três espécies distantes (provenientes de clados diferentes) e (v) policultura (contendo as nove espécies de plantas). Ao todo, 96 parcelas experimentais (12 x 10 m) foram montadas em ambas as margens do riacho. O experimento foi iniciado em setembro de 2015, com o plantio de 1656 indivíduos sendo 184 para cada espécie de planta. A sobrevivência e a altura das plantas foram monitoradas no decorrer do primeiro ano do experimento. A sobrevivência das plantas foi monitorada em Outubro de 2016 e em Maio de 2017. Já a altura foi monitorada em Abril e Outubro de 2016. A sobrevivência das plantas foi menor em Maio de 2017 em comparação à Outubro de 2016. A altura das plantas foi maior em Outubro de 2016, mas a taxa de crescimento relativo foi menor para o período de Junho a Outubro de 2016 em comparação com o período de Dezembro de 2015 à Abril de 2016 devido à redução na pluviosidade entre os meses de Junho e Outubro. Os tratamentos de diversidade não afetaram a sobrevivência das plantas. Já nos tratamentos com comunidades filogeneticamente distantes, essas apresentaram indivíduos mais altos. Os resultados desse experimento indicam que a utilização de espécie de plantas filogeneticamente distantes pode ser mais eficaz para a restauração de áreas degradadas, uma vez que a diversidade filogenética contribui para uma maior produção de biomassa nas plantas, possivelmente porque espécies distantes filogenéticamente usam os recursos de maneira complementar., aumentando assim, as chances de sucesso em projetos de restauração de áreas degradadas.
Abstract: Biological diversity is the resource in which all nations are exclusively dependent; it is the basis of the planet's health, which in turn is being strongly degraded, mainly by anthropogenic factors such habitat loss. The decrease of biological diversity has generated great concern in the scientific literature, requiring more studies aiming to understand how species loss affect ecosystem functioning. Numerous studies revealed the importance of plant diversity for ecosystem functioning but to date few studies evaluated ecosystem functioning of restored environments. Additionally, a small number of studies looked at how plant diversity affects restoration success in degraded areas. In order to evaluate the effects of species richness and phylogenetic diversity over survival and growth of nine native plant species, an experiment was carried out to restore the riparian vegetation of a perennial stream located at the municipality of Monte Alegre (NE, Brazil). Nine tree species were selected to set up the experiment using a phylogenetic tree containing 47 plant species (among trees and shrubs) that naturally occur in the surrounding area. As the phylogenetic tree had three main clades, three species of each clade were selected. Thus, the experiment was defined with five levels of diversity: (i) control treatment (bare soil), (ii) monoculture, (iii) three related species (from the same clade), (iv) three distant species (from different clades) and (v) polyculture (containing all nine plant species). The 96 experimental plots (12 x 10 m) were implemented on both margins of the stream. The experiment started in September 2015, with the planting of 1656 individuals, 184 individuals per plant species. Plant survival was monitored in October 2016 and May 2017. Plant height was monitored in April and October 2016. Plant survival was lower in May 2017 compared to October 2016. Plant height was higher in October 2016, but plant relative growth rate was lower from June to October 2016 compared to December 2015 to April 2016 due to the reduction in rainfall. Diversity treatments did not affect the plant survival. However, treatments with phylogenetically distant species had taller plants in the final measurement. These results indicate that the use of phylogenetically distant plant species may be more effective for restoring degraded riparian vegetation. Phylogenetic diversity may contributes to a higher production of plant biomass because differential use of resource by distantly related species reduce competition among them, increasing the chances of restoration success in degraded areas.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5776
Other Identifiers: 2011000737
Appears in Collections:Ecologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DiversidadeFilogenetica_Moura_2017.pdfMonografia1.57 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.