Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5774
Title: Capacidade de suporte de um reservatório do semiárido brasileiro para a piscicultura intensiva em tanques-rede
Authors: Amorim, Ana Claudia Xavier de
Keywords: Coeficiente de retenção de fósforo pelo sedimento;;Taxa de conversão alimentar;Vazão média;Fósforo total;Clorofila a.
Issue Date: 28-Nov-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: AMORIM, Ana Cláudia Xavier de. Capacidade de suporte de um reservatório do semiárido brasileiro para a piscicultura intensiva em tanques-rede. 2017. 19 f. Monografia (Graduação em Ecologia)- Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, 2017.
Portuguese Abstract: A atividade de piscicultura intensiva em tanques-rede quando não praticada de modo sustentável pode deflagrar um processo de degradação ambiental como a eutrofização. O presente trabalho objetivou avaliar o atual estado trófico do reservatório de Santa Cruz do Apodi e estimar a sua capacidade de suporte em distintos cenários que combinam diferentes valores de coeficiente de retenção do fósforo pelo sedimento e de vazões média efluentes. Constatou-se que o ambiente encontra-se em um estado trófico mesotrófico e com bom potencial à atividade. Sua capacidade de suporte será maior em cenários com maiores valores de vazões média, pois quanto maior a vazão, maior será a concentração de fósforo liberada do sistema; com maiores coeficientes de retenção de fósforo, pois menor será a concentração de fósforo presente na coluna d´água; e quando assumida uma taxa de conversão alimentar mais eficiente, pois menor será a proporção de fósforo oriunda de cada tonelada de peixe produzida. Por possuir uma alta concentração de oxigênio dissolvido, seu sedimento tende a reter boa parte do fosfato presente na coluna d’água e além de apresentar baixos valores de vazão média devido ao atual cenário de volume reduzido, os cenários de maiores coeficientes de retenção de fósforo (R: 0,7 e R:0,9) e menores valores de vazões médias (0,5 m³/s e 1,0 m³/s) podem descrever melhor a sua atual capacidade de suporte, fazendo com que a produção máxima autorizável de peixes atual possa variar de 44 ton/ano a 263 ton/ano quando assumida uma taxa de conversão alimentar ideal de 1,5:1,0 ou 24 ton/ano a 143 ton/ano quando admitida uma taxa de conversão alimentar mais realista de 2,0:1,0.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5774
Other Identifiers: 2012934846
Appears in Collections:Ecologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PisciculturaIntensiva_Amorim_2017.pdfMonografia830.6 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.