Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5413
Title: Efeito de Diferentes Estrategias de Treinamento Aeróbio na Modulação Autonômica Cardíaca de Pessoas Sedentárias com Sobrepeso e Obesidade
Other Titles: Effect of Different Strategies of Aerobic Training on the Autonomic Cardiac Modulation of Sedentary People with Overweight and Obesity
Authors: Pessoa, Felipe de Azevedo
Keywords: VFC;Excesso de Peso;Exercício
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PESSOA, Felipe de Azevedo. Efeito de diferentes estrategias de treinamento aeróbio na modulação autonômica cardíaca de pessoas sedentárias com sobrepeso e obesidade. 2017. 36 f.Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Departamento de Educação Física, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Introdução: Dentre as inúmeras condições negativas de saúde associadas com o excesso de peso, se destaca a baixa variabilidade da frequência cardíaca (VFC), que por sua vez, reflete um risco elevado de morbidade e mortalidade por doenças cardiovasculares. Diante deste problema, o exercício físico vem se mostrando uma estratégia eficaz para reverter este quadro em pessoas com excesso de peso. No entanto, ainda não está claro qual método de treinamento é mais eficaz para melhorar a VFC de pessoas com excesso de peso. Objetivo: Avaliar o efeito do treinamento moderado contínuo (TMC), treinamento intervalado de alta e intensidade (HIIT) e treinamento de intensidade autosselecionada (TIA) na VFC de indivíduos com excesso de peso aparentemente saudáveis em um programa de treinamento de 4 semanas em um ambiente outdoor. Metodologia: 73 adultos foram aleatorizados em três grupos: TMC, HIIT e TIA. Só foram incluídos para análise da VFC os indivíduos que tiveram < 5% de artefatos em um dos registros de batimentos cardíacos, que tiveram uma frequência de treinamento ≥75%, e que não abandonaram a intervenção. Após a exclusão dos indivíduos que não se encaixaram nos critérios de análise, sobraram 38 adultos, 16 no TMC (11 mulheres e 5 homens, IMC 31,19 ± 6,82), 15 no TIA (11 mulheres e 4 homens, IMC31,19 ± 6,37s) e 7 no HIIT (3 mulheres e 4 homens, IMC 32,88 ± 2,48). O treinamento foi realizado três vezes por semana durante quatro semanas em uma pista de atletismo. No TMC, os participantes foram instruídos a se exercitar na percepção subjetiva de esforço (PSE) de 13 (6-20 da escala de Borg) durante 30 minutos. No HIIT, os sujeitos foram instruídos a realizar 10 estímulos de 60 segundos na PSE de 15-17, intercalados com 60 segundos de recuperação ativa. No TIA, foi permitido ao participante selecionar a intensidade a partir da seguinte instrução: “Selecione uma velocidade para realizar 30 minutos de exercício”. Os registros dos batimentos cardíacos para a análise da VFC foram pegos antes da intervenção e após 4 semanas de treino. Os dados não paramétricos foram transformados em logaritimos de base 10. A ANOVA two-way de medidas repetidas seguida pelo post hoc de Bonferroni foi utilizada para verificar o efeito do grupo, tempo e a interação grupo x tempo para os índices da VFC e para VO2 máximo, IMC (p<0,05). Resultados: Não foi observado interação do grupo x tempo para o VO2 máximo, IMC, frequência cardíaca de repouso (FCrep), INTERVALO RR, SDNN, RMSSD, LF, HF e LF/HF. Houve efeito do tempo apenas na média dos intervalos RR no grupo HIIT (p=0,04). Já no grupo TMC houve um aumento significativo na média dos intervalos RR (p=0,01), SDNN (p<0,01), RMSSD (p=0,04) e no LF (p<0,01). Por último o grupo TIA apresentou aumento significativa após as 4 semanas na média dos intervalos RR (p=0,05), DSNN (p=0,01), LF (p=0,04) e HF (p=0,01), e apresentou diminuição da FCrep (p=0,03). Conclusão: O TMC e TIA se mostraram efetivos para aumentar a VFC de indivíduos com excesso de peso.
Abstract: Introduction: Among the many negative health conditions associated with overweight, there is a low heart rate variability (HRV), which in turn reflects a high risk of cardiovascular disease morbidity and mortality. Faced with this problem, physical exercise has been shown to be an effective strategy to reverse this condition in overweight people. However, it is still unclear which training method is most effective in improving HRV in overweight people. Objective: To evaluate the effect of continuous moderate training (CMT), high intensity interval training (HIIT) and self-selected intensity training (SEF) in HRV of apparently healthy overweight individuals in a 4-week training program in one outdoor environment. Methods: 73 adults were randomized into three groups: TMC, HIIT and TIA. Only those individuals who had <5% of artifacts in one of the heart rate records, who had a training frequency ≥75%, and who did not abandon the intervention were included for HRV analysis. After exclusion of the individuals that did not fit the analysis criteria, 38 adults remained, 16 in CMT (11 women and 5 men, BMI 31.19 ± 6.82), 15 in SEF (11 women and 4 men, IMC31, 19 ± 6,37s) and 7 in HIIT (3 women and 4 men, BMI 32.88 ± 2.48). The training was performed three times a week, for four weeks on an athletic track. At the CMT participants were instructed to exercise at the subjective perception of effort (PSE) of 13 (6-20 of the Borg scale) for 30 minutes. At HIIT, the subjects were instructed to perform 10 stimuli of 60 seconds in PSE of 15-17, interspersed with 60 seconds of active recovery. In the SEF, the participant was allowed to select the intensity from the following instruction: "Select a speed to perform 30 minutes of exercise". Heart rate records for HRV analysis were taken before the intervention and after 4 weeks of training. The non-parametric data were transformed into base 10 logarithms. The two-way ANOVA of repeated measurements followed by the Bonferroni post hoc was used to verify the group effect, time and the group x time interaction for the HRV and VO2 indices maximum, BMI (p <0.05). Results: No interaction of group x time was observed for maximal VO2, BMI, resting heart rate (HRR), RR INTERVAL, SDNN, RMSSD, LF, HF and LF / HF. There was time effect only on the mean RR intervals in the HIIT group (p = 0.04). In the TMC group, there was a significant increase in mean RR intervals (p = 0.01), SDNN (p <0.01), RMSSD (p = 0.04) and LF (p <0.01). Finally, the SEF group showed a significant increase after 4 weeks in the mean RR intervals (p = 0.05), DSNN (p = 0.01), LF (p = 0.04) and HF (p = 0.01), and presented a decrease in HRR (p = 0.03). Conclusion: TMC and TIA group, were effective in increasing HRV in overweight individuals.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5413
Other Identifiers: 2011029673
Appears in Collections:Educação Física (licenciatura)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Efeitodediferentesestratégias_Pessoa_2017Texto Completo476.87 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons