Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5361
Title: Avaliação da marcha e risco de quedas em idosos com queixa de tontura em atendimento ambulatorial
Authors: Matias, Lisania Tais Lopes
Keywords: Avaliação. Marcha. Envelhecimento.;Evaluation. March. Aging.
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MATIAS, Lisania Tais Lopes. Avaliação da marcha e risco de quedas em idosos com queixa de tontura em atendimento ambulatorial. 2017. 47f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Fisioterapia. Natal, RN, 2017.
Portuguese Abstract: Introdução: A tontura e o desequilíbrio corporal podem gerar quedas, diminuição no desempenho das atividades de vida diária, prejuízo na independência e na qualidade de vida dos idosos. A avaliação da marcha torna-se um dos principais recursos utilizados para se detectar problemas funcionais relacionados à locomoção. Objetivo: Avaliar a marcha e o risco de quedas, por meio do DGI, em idosos com queixa de tontura crônica atendidos ambulatoriamente. Metodologia: Foram avaliados 60 idosos, com queixa de tontura, dos sexos feminino e masculino, com idade igual ou superior a 60 anos. Os instrumentos utilizados para a avaliação foram: dados sociodemográficos, dados clínico-funcionais, avaliação da capacidade funcional (BOMFAQ) e histórico de quedas no último ano; dados de mobilidade, equilíbrio corporal e marcha através do Timed Up and Go Test (TUGT), Berg Balance Scale (BBS) e Dynamic Gait Index (DGI); e, por fim, os dados psico-cognitivos que se utilizou o Geriatric Depression Scale (GDS) e o Mini Mental State Examination (MMSE). Resultados: A amostra apresentou média etária de 75,13±7,97 anos, sendo a maioria feminina 71,70%. Os idosos utilizavam em média 4,25±2,50 medicamentos e 50,00% tinham até quatro doenças. 66,70% possuíam maior risco de quedas segundo DGI. 38,30% não possuíam déficit cognitivo e 38,30% não apresentavam sintomas depressivos. Foram encontradas associações significantes entre a variável dependente DGI e as variáveis: atividade física (p=0,017), locomoção (p=0,013), dispositivos de auxílio à marcha (p=0,018), quedas no último ano (p=0,043), TUGT (p=0,006), GDS (p=0,008), BOMFAQ (p=0,002) e BBS (p=0,001). Conclusão: O risco de quedas em idosos com queixa de tontura é maior quando associada à inatividade física, locomoção independente, que não utilizam dispositivo de auxílio à marcha, com histórico de quedas, com mobilidade reduzida, presença de sintomas depressivos, prejuízo na capacidade funcional e no equilíbrio corporal.
Abstract: Introduction: Dizziness and body imbalance can lead to falls, decreased performance of activities of daily living, impairment in the independence and quality of life of the elderly. The evaluation of gait becomes one of the main resources used to detect functional problems related to locomotion. Objective: To evaluate the gait and the risk of falls through the DGI in the elderly with complaints of chronic dizziness attended ambulatorily. Methodology: We evaluated 60 elderly, with complaints of dizziness, of the female and male sexes, aged 60 years or over. The instruments used for the evaluation were: sociodemographic data, functional-clinical data, functional capacity assessment (BOMFAQ) and history of falls in the last year; mobility and balance data through the Timed Up and Go Test (TUGT), Berg Balance Scale (BBS) and Dynamic Gait Index (DGI); and, finally, the psycho-cognitive data that used the Geriatric Depression Scale (GDS) and Mini Mental State Examination (MMSE). Results: The sample had an average age of 75.13±7.97 years, the majority being 71.70%. The elderly used on average 4.25±2.50 medications and 50.00% had up to four diseases. 66.70% had a higher risk of falls according to DGI. 38.30% had no cognitive deficit and 38.30% had no depressive symptoms. Significant associations were found between the dependent variable DGI and the variables: Physical activity (p = 0.017), locomotion (p = 0.013), gait support devices (p = 0.018), falls in the last year (p = 0.043), TUGT (p = 0.006), GDS (p = 0.008), BOMFAQ (p = 0.002) and BBS (p = 0.001). Conclusion: The risk of falls in elderly with complaint of tonnage and greater when associated with physical inactivity, independent locomotion, which do not use gait aid, with a history of falls, with reduced mobility, presence of depressive symptoms, impaired functional capacity and body balance.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5361
Other Identifiers: 2013086712
Appears in Collections:Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Avaliaçãomarcharisco_2017_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo816.73 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.