Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5334
Title: Sofrologia e treinamento resistido para o tratamento de mulheres com fibromialgia: um estudo controlado randomizado
Other Titles: Sophrology versus resistance training for treatment women with fibromyalgia: a randomized controlled trial
Authors: Silva, Hugo Jário de Almeida de
Keywords: Fibromialgia;Relaxamento;Exercício resistido;Dor;Qualidade de vida
Issue Date: Nov-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Hugo Jário de Almeida. Sofrologia e treinamento resistido para o tratamento de mulheres com fibromialgia: um estudo controlado randomizado. 2017. 51f. Artigo Científico (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2017.
Portuguese Abstract: Introdução: Exercícios físicos têm sido recomendados para melhorar o bem-estar global em pacientes com fibromialgia. Os exercícios de relaxamento corporal parecem também demonstrar algum efeito benéfico, mas não existe um consenso em relação à essa modalidade. Objetivo: comparar a efetividade da sofrologia e do treinamento resistido na melhora da dor de mulheres com fibromialgia. Métodos: estudo clínico, controlado, randomizado com avaliador cego. Foram incluídas sessenta (60) mulheres com diagnóstico médico de fibromialgia randomizadas em dois grupos: grupo sofrologia (GS) que participaram de um programa de relaxamento baseado na sofrologia (n = 30) e grupo resistido (GR) (n = 30). que participaram de um programa de treinamento resistido para bíceps braquial, peitoral, tríceps braquial, extensores de joelho, trapézio, flexores de joelho, abdutores do quadril. Ambos os grupos foram tratados 2 vezes por semana durante 12 semanas e reavaliações a cada 4 semanas. Os instrumentos de avaliação utilizados foram escala visual analógica de dor (EVA), teste de 1 repetição máxima (1 RM), qualidade de vida geral (SF-36), o teste de caminhada de 6 minutos (TC6), o teste Timed Up and Go (TUG) e o fibromyalgia impact questionnaire (FIQ). Resultados: Percebeu-se que o GR apresentou diminuições estatisticamente significativas da dor (EVA) no decorrer das avaliações (p<0,05) e aumento na força dos músculos avaliados (p<0,05). No GS, comparado a T0 houve diminuições estatisticamente significativas da dor (p<0,05) e não tiveram diferenças significativas em relação à força muscular. Houve diferenças entre os grupos, com melhores índices para o GR, apenas com relação a força, TC6 e capacidade funcional de domínio do SF36 (p<0,05). Conclusão: Não encontramos diferença na dor entre os grupos. O treino resistido foi mais eficaz que a sofrologia na melhora da força e capacidade funcional de mulheres com fibromialgia.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5334
Other Identifiers: 2013050569
metadata.dc.description.embargo: 2019-01-31
Appears in Collections:FACISA - Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SOFROLOGIA E TREINAMENTO RESISTIDO PARA O TRATAMENTO DE MULHERES COM FIBROMIALGIA.pdf3.34 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.