Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5275
Title: Perfil gineco-obstétrico, multiparidade e funcionalidade em mulheres do município de Santa Cruz- RN
Authors: Santos, Luana Brito dos
Keywords: Saúde da mulher;Idade reprodutiva;Paridade
Issue Date: 28-Nov-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SANTOS, Luana Brito dos. Perfil gineco-obstétrico, multiparidade e funcionalidade em mulheres do município de Santa Cruz- RN. 2017. 23f. Artigo científico (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2017.
Portuguese Abstract: Objetivo: Esse estudo realizou uma caracterização sociodemográfica e gineco-obstétrica das mulheres em idade fértil, bem como, observou a associação da paridade com a incapacidade. Metodologia: Esso foi um estudo descritivo, transversal de abordagem quantitativa, realizado com 195 mulheres entre 19 e 49 anos. Para coleta dos dados empregou-se uma ficha sociodemográfica e com questões relativas a história ginecológica e obstétrica, assim como, o questionário WHODAS 2.0. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial. O protocolo de pesquisa foi aprovado pelo comitê de ética da FACISA/UFRN. Resultados: A maioria das mulheres possuía somente o ensino fundamental (45,1%), e apenas 20,5% possuíam renda igual ou superior a 2 salários mínimo, 59% eram primípara ou secundípara. Destas, 60% tiveram pelo menos um parto vaginal, 50,3% pelo menos um parto cesáreo, 21% apresentaram pelo menos uma gestação gemelar e 5,2% necessitaram usar fórceps, 67,8% das mulheres tiveram início da atividade sexual com menos de 18 anos. Observou-se que o início da atividade sexual precoce (OR=1,31; IC=1,20-1,43) e gestação gemelar (OR=2,53; IC=1,08-5,89), aumentam as chances de multiparidade. Já o parto vaginal (OR=0,28; IC=0,13-0,59), o parto cesáreo (OR=0,28; IC=0,13-0,59) e o uso de fórceps durante o parto (OR=0,06; IC=0,00-0,50), diminuem as chances para a multiparidade. Quanto à associação entre multiparidade e o WHODAS, maior incapacidade foi observada para atividades de escola ou trabalho (p=0,036) entre as mulheres não multíparas. Conclusão: Conclui-se que o início da atividade sexual ainda na adolescência e gestação gemelar, aumentam as chances de multiparidade entre as mulheres em idade fértil. O estudo traz sérias preocupações de que o parto cesariano esteja sendo utilizado em excesso. A multiparidade está associada a uma maior funcionalidade das mulheres para a execução de atividades domésticas.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5275
Other Identifiers: 2013011319
metadata.dc.description.embargo: 2020-12-31
Appears in Collections:FACISA - Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PERFIL GINECO-OBSTÉTRICO, MULTIPARIDADE E FUNCIONALIDADE EM MULHERES DO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ-RN.pdf
Restricted Access Until 2020-12-30
514.16 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.