Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/5125
Title: Obtenção do extrato da rumex acetosa com etanol pressurizado
Authors: Lopes, Vitor Fernandes Dias
Keywords: Rumex acetosa;Extração com líquidos pressurizados;Solubilidade;Atividade antioxidante
Issue Date: 16-Nov-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: LOPES, Vitor Fernandes Dias. Obtenção do extrato da rumex acetosa com etanol pressurizado. 2017. 24f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Química), Departamento de Engenharia Química, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Os compostos oxidantes são indicados por diversos estudos como responsáveis por diversas doenças degenerativas no corpo humano, como envelhecimento e doenças cardiovasculares. No intuito de cessar seus efeitos e inibi-los, os antioxidantes apresentam um papel fundamental. Estes são, em geral, compostos fenólicos e podem ser de origem sintética ou natural, estes últimos são geralmente metabolizados pelo organismo de plantas. A Rumex acetosa é uma delas, a qual apresenta uma vasta gama destes compostos na sua raiz, despertando o interesse de pesquisas cientificas no âmbito de extraí-los. Para que isso ocorra de forma limpa, rápida e eficaz, foi escolhida a extração com líquido pressurizado (ELP) com etanol como solvente, a qual consiste na pressurização deste líquido em altas temperaturas, de modo que permaneça em estado líquido, melhorando a solubilização do analito de interesse. Este trabalho visa estudar a influência da vazão do solvente e do tempo de extração no rendimento do processo, solubilidade do substrato no solvente, poder antioxidante e teor de fenóis totais, através das curvas cinéticas de extração, método do sequestro do radical 2,2-difenil-1-picril-hidrazil, DPPH e método espectrofotométrico de Folin-Ciocalteau, respectivamente. O rendimento variou proporcionalmente com a vazão e o tempo de extração, de 7,27 % a 10,81 %. Contudo, a solubilidade dos compostos no solvente não permaneceu na mesma ordem de grandeza em todas as extrações, variando entre 0,0418 g/g e 0,0721 g/g, assim como a composição de fenóis totais e o poder antioxidante (medido como EC50) das amostras, os quais se apresentaram, também, todos na mesma ordem de grandeza, variando de 149,80 mg/g a 181,63 mg/g; e 18,32 µg/mL a 22,84 µg/mL, respectivamente. Isso demonstra que todas as vazões, na faixa estudada, estão promovendo a saturação do analito no solvente.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/5125
Other Identifiers: 2013011589
Appears in Collections:Engenharia Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Obtencaodoextrato_Monografia.pdfMonografia879.52 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons