Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4673
Title: “Dandaras, carolinas, marias... até que todas sejamos livres”: histórias de lutas e resistências das mulheres negras no Brasil
Authors: Varela, Gabriely Nascimento
Keywords: Questão Étnico-Racial;Mulheres negras;Organização política
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: VARELA, Gabriely Nascimento. “Dandaras, carolinas, marias... até que todas sejamos livres”: histórias de lutas e resistências das mulheres negras no Brasil. 2016. 73f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social), Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: Esse trabalho analisa a organização política das mulheres negras no Brasil,levando em consideração os rebatimentos da questão racial na sociedade brasileira e as particularidades de classe, gênero e raça. Para que essa análise fosse possível elencamos como objetivo geral analisar a organização política das mulheres negras do Brasil na luta por direitos sociais e como objetivos específicos: Investigar a questão racial como expressão da questão social na formação social brasileira; Apreender as condições de vida das mulheres negras no Brasil, discutindo as particularidades de trabalho, escolaridade, desigualdades sociais, entre outros; Apreender as particularidades de classe, raça e gênero na luta das mulheres negras; Construir um resgate histórico das lutas sociais das mulheres negras no cenário nacional; Pesquisar as estratégias de organização política das mulheres negras e a luta pela igualdade racial no Brasil; Discutir a importância do feminismo negro na luta pela igualdade racial. Esses objetivos foram alcançados metodologicamente através da realização de revisão de literatura e pesquisa documental feita em livros, artigos, monografias, dissertações e sites relacionados à temática abordada. Foi utilizado o método crítico dialético de Marx (Materialismo Histórico Dialético) para análise das bibliografias utilizadas, tentando compreender a totalidade do fenômeno em questão. Como principais resultados foi possível avaliar que o Feminismo Negro é um marco importante na consolidação do movimento de mulheres negras não só no Brasil, mas no mundo. Além de buscar a construção de uma identidade negra positiva, reivindica a integração da mulher negra nos espaços sociais e permite se reconhecerem enquanto sujeitos coletivos de direitos. Por compartilharem histórias comuns de vida e opressão nutre-se um sentimento de reconhecimento e formação de uma identidade coletiva entre elas, na qual se alicerça um projeto de mudança social. A classe social, a raça e o gênero atuam de forma associada na construção dessa identidade coletiva, pois essas mulheres compartilham esses três aspectos em comum, além de outros.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4673
Other Identifiers: 2013031240
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GabrielyNV_Monografia.pdfServiço Social 749.17 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.