Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4645
Title: As expressões da sexualidade entre as grades da prisão: uma análise a partir da perspectiva das mulheres encarceradas no Complexo Penal Dr. João Chaves
Authors: Santos, Maria Helena de Araújo
Keywords: Gênero;Sexualidade;Sistema carcerário
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SANTOS, Maria Helena de Araújo. As expressões da sexualidade entre as grades da prisão: uma análise a partir da perspectiva das mulheres encarceradas no Complexo Penal Dr. João Chaves. 2016. 82f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social), Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: Devido ao regime político do patriarcado, historicamente as mulheres foram invisibilizadas em diversas esferas da vida social, sendo a sexualidade uma delas. Quando tratamos da sexualidade de mulheres em situação de prisão, notamos que há muitas particularidades, tendo em vista que a prisão se trata de um ambiente extremamente normativo e carrega em seu bojo aspectos patriarcais e assistencialistas visando corrigir a sexualidade feminina. Desse modo, nossa pesquisa propôs analisar as expressões da sexualidade das mulheres encarceradas no pavilhão feminino da unidade prisional Complexo Penal Dr. João Chaves; apreender as diferentes visões sobre “o que é ser mulher” entre as mulheres encarceradas; analisar a reprodução dos estereótipos de gênero entre as mulheres heterossexuais, bissexuais e lésbicas; observar a forma como a unidade prisional trata a sexualidade das mulheres. O interesse pelo tema surgiu a partir do estágio supervisionado em Serviço Social na unidade prisional. Como aporte teórico para compreendermos as manifestações da diversidade sexual na instituição penal, discutimos as relações patriarcais de gênero, a sexualidade como construção social e a realidade do sistema prisional no Brasil, bem como a forma como esse sistema trata as sexualidades de presas/os, relacionando com a realidade social dos sujeitos da pesquisa a partir de um perfil socioeconômico e das informações sobre a vivência da sexualidade. O estudo é de natureza qualitativa, utilizando-se da perspectiva do materialismo histórico- dialético para uma análise de totalidade social da realidade. Para tanto, o processo investigativo foi constituído pela pesquisa de campo com o uso da técnica da entrevista semiestruturada, apoiada no levantamento bibliográfico das categorias patriarcado, gênero e sexualidade. A amostra da pesquisa foi definida em 10% do total de pessoas encarceradas na unidade prisional, que correspondeu a 12 pessoas entrevistadas, entre as quais 6 recebem visita íntima e 6 que não recebem. Como resultados, identificamos que o grupo que recebe visita reproduz a noção do “ser mulher” como sexo frágil, reprodutora biológica e detentora das atividades domésticas, enquanto o outro associa essa noção a valores éticos como dignidade, respeito e atitude. Observamos ainda que a reprodução de estereótipos de gênero entre as mulheres heterossexuais, bissexuais e algumas lésbicas trazem elementos ligados a padrões de beleza e feminilidade. No momento da pesquisa, identificamos um homem transexual, o que constituiu um elemento novo para nosso estudo uma vez que não esperávamos e, assim como outras mulheres lésbicas denominadas como “bofe”, assumem comportamentos masculinos e acabam reproduzindo a heteronormatividade em suas relações afetivo-sexuais. Ademais, constatamos que muitas demandas das mulheres lésbicas que vivenciam relacionamentos afetivo-sexuais dentro da unidade prisional são invisibilizadas. Apesar disso e de diversas reclamações referente a sexualidade das demais pessoas entrevistadas, constatamos que muitas sentem-se satisfeitas com a sexualidade atualmente. Desse modo, concluímos que a unidade prisional deve trabalhar de forma pedagógica os impactos subjetivos sofridos por sua população, bem como a diversidade sexual a fim de garantir que todas/os possam vivenciar sua sexualidade dentro das possibilidades do cárcere.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4645
Other Identifiers: 2013036004
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MariaHAS_Monografia.pdfServiço Social 836.59 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.