Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4404
Title: Análise da relação entre queixas urinárias, qualidade de vida e funcionalidade em indivíduos acometidos por acidente vascular encefálico
Authors: Paixão, Jucielma de Andrade
Keywords: Micção;Qualidade de vida;Independência funcional;Acidente vascular cerebral;Assoalho pélvico
Issue Date: 22-Jun-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: PAIXÃO, Jucielma de Andrade. Análise da relação entre queixas urinárias, qualidade de vida e funcionalidade em indivíduos acometidos por acidente vascular encefálico. 2017. 35f. Artigo Científico (Graduação em Fisioterapia) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2017.
Portuguese Abstract: Introdução: O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma das afecções neurológicas mais comuns na vida adulta, conferindo alto risco de desenvolver a incontinência urinária, em decorrência da incapacidade, nível de consciência prejudicado e uso de medicação.Objetivo:Analisar a relação entre queixas urinárias, qualidade de vida e funcionalidade em indivíduos com acidente vascular encefálico. Metodologia:Estudo observacional, transversal, de caráter quantitativo com 29 indivíduos pós AVE. Aplicou-se uma ficha de avaliação com dados sociodemográficos, hábitos de vida, saúde autorreferida, e fichas da função miccional, qualidade de vida(Whoquol-bref) e medida de independência funcional(MIF), além da avaliação funcional dos músculos do assoalho pélvico(MAPs) pelo método PERFECT, utilizando a escala de Oxford. Resultados:41,4% de participantes referiram perda urinária, maioria do sexo feminino (75%), raça negra, parda e outras (75%), não possuíam companheiro (66,6%) e avaliaram sua saúde como boa (83,3%). Do total da amostra 50% apresentava a urgência miccional, 91,7% referiram que a perda urinária ocorreu após a lesão, 78,9% apresentam noctúria, 80% apresentam esforço miccional e a maioria classificou a função miccionalcomo boa (44,8%). Observou-se correlação negativa da frequência miccional (diurna e noturna) com a qualidade de vida e funcionalidade. Dos 21 participantes avaliados, 85,7% apresentaram a percepção cinestésica, sendo que 66,7% utilizavam a musculatura acessória abdominal, 71,4% adutora e 76,2% glútea. Na avaliação da força MAP, as mulheres apresentaram na musculatura superficial média de força 2 e resistência de 2 segundos, e na musculatura profunda apresentaram média de força 1 e resistência de 1 segundo, enquanto os homens apresentaram na musculatura profundamédia de força 2 e resistência de 3 segundos.Conclusão:Conclui-se que a perda urinária foi prevalente em uma parcela significativa dos participantes, não houve associação entre a perda urinária e as variáveis sociodemográficas, fazer tratamento fisioterapêutico e saúde autorreferida, observou-se que quanto maior a frequência miccional, menor a qualidade de vida e funcionalidade, a maioria dos participantes apresentaram falta de coordenação,diminuição da força e resistência dos MAPs.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4404
Other Identifiers: 2011067290
metadata.dc.description.embargo: 2020-07-17
Appears in Collections:FACISA - Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Análise da relação entre queixas urinárias, qualidade de vida e funcionalidade em indivíduos acometidos por acidente vascular encefálico.pdf
Restricted Access Until 2020-07-16
Artigo Científico558.22 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.