Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4351
Title: A violência doméstica contra a mulher no município de Parnamirim/RN: impasses para a denúncia e para o atendimento
Authors: Sousa, Aline Andressa Rodrigues de
Keywords: Sociedade patriarcal;Violência doméstica;Denúncia;Rede de atendimento
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SOUSA, Aline Andressa Rodrigues de. A violência doméstica contra a mulher no município de Parnamirim/RN: impasses para a denúncia e para o atendimento. 2013. 72f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social), Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.
Portuguese Abstract: Este trabalho tem por objetivo a identificação e a análise dos principais impasses à denúncia da violência doméstica contra a mulher, bem como para o funcionamento dos serviços da Rede de atendimento às mulheres do município de Parnamirim/RN. Para tanto, faz-se necessária a apreensão das relações de gênero situando o patriarcado dentro das relações sociais da contemporaneidade, identificando como essas relações contribuem para a (não) denúncia. E ainda como a ideologia, fruto das relações patriarcais de gênero, difunde, mascara e reafirma a supremacia masculina e a inferioridade feminina. O estudo contribui na medida em que repensamos como essas relações desiguais contribuem para a desvalorização das mulheres, gerando empecilhos para estas denunciarem e receberem um atendimento digno. Para isso, se faz a análise dos resultados obtidos em entrevistas com 12 mulheres que se apresentaram na DEAM-Parnamirim, vítimas de violência doméstica, na qual o agressor era seu companheiro ou ex-companheiro, com quem mantém (manteve) laços afetivos, tendo filhos ou não dessa relação. Contribuíram também com o estudo, alguns profissionais da Rede de atenção à mulher vítima de violência doméstica. A partir da análise dos resultados, é possível verificar que todas as mulheres sofrem “violências” antes de denunciar. Identificamos também que muitas resistências se fazem presentes: a vergonha de expor a família, a crença na mudança do companheiro, por sofrerem ameaça do agressor; a dependência econômica, a falta de informações de onde denunciar, conselhos de amigos/familiares para não denunciar, etc. Contudo, o que mais foi apontado pelas mulheres é que elas acreditam que denunciando não resolve o problema. Partindo dessa afirmação, no decorrer do estudo, analisaremos essa "ineficácia da rede de atenção" e como ela se traduz, não apenas como mais um impasse a denúncia, e sim, como uma nova forma de violência contra a mulher, que ao invés de ofertar o suporte necessário e íntegro às mulheres vítimas, impera o descaso e a cegueira moral.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4351
Other Identifiers: 2009027159
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AlineARS_Monografia.pdfServiço Social 800.77 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.