Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4344
Title: Distancia percorrida, respostas cardíacas e percepçao subjetiva de esforço durante o Incremental Shuttle Walking Test em crianças obesas e eutróicas
Authors: Silva, Suzanny Lays da
Keywords: Obesidade infantil;capacidade funcional;Incremental Shuttle Walking Test
Issue Date: 20-Jun-2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Suzanny Lays da. Distância percorrida, respostas cardíacas e percepção subjetiva de esforço durante o Incremental Shuttle Walking Test em crianças obesas e eutróficas. 2017. 75f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia)-Departamento de Fisioterapia. Centro de Ciências da Saúde. Universidade Federal do Rio Grande do Norte Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Introdução: A obesidade infantil impacta negativamente na qualidade de vida dos sujeitos e gera um ciclo vicioso entre sedentarismo e redução da capacidade funcional desses indivíduos, que pode ser avaliada por meio de testes de esforço físico. O Teste de Esforço Cardiopulmonar máximo (TECP) é a medida padrão ouro de avaliação, contudo, testes de campo de esforço submáximo, como o Incremental Shuttle Walking Test (ISWT), apresentam-se como alternativa diante da impossibilidade da realização do TECP. Objetivos: Analisar e comparar a distância percorrida, frequência cardíaca e percepção subjetiva de esforço em crianças obesas e eutróficas submetidas ao ISWT. Materiais e Métodos: Estudo transversal desenvolvido com 38 crianças, de ambos os sexos e com 7 a 10 anos de idade, sendo 21 obesas e 17 eutróficas, todos recrutados na rede de ensino pública municipal da cidade de Natal/RN. Os sujeitos selecionados foram submetidos a uma avaliação antropométrica e de adiposidade localizada, avaliação clínica e de nível de atividade física, por meio de questionários enviados aos responsáveis, e em seguida, realizaram o ISWT e após 30 minutos o seu reteste. Análise estatística: Os dados foram analisados no programa Statistic versão 10.0, e adotado nível de significância de 0,05. A normalidade dos dados foi verificada através do teste de Kolmogorov-Smirnov (K-S), e apresentados em média e desvio-padrão. A análise de correlação entre as variáveis antropométricas e de desempenho nos testes foi realizada através da Correlação de Pearson e para testar hipótese de diferença entre as médias dos dados de desempenho entre os grupos utilizou-se o teste T de Student. Resultados: Não foi observada diferença significativa na idade, distância percorrida, frequência cardíaca máxima (FCmáx) e percepção subjetiva de esforço para fadiga entre os grupos, no entanto, houve diferença significativa no peso, estatura, e circunferências de cintura (CC), de quadril (CQ) e relação cintura-quadril (RCQ), na pressão arterial sistólica inicial e BORG dispneia final entre os eutróficos e obesos. Não houve correlações significativas entre a distância percorrida no teste e algumas variáveis antropométricas, como o peso, CC e CQ, nos dois grupos estudados. No grupo obeso a FC final correlacionou-se positivamente com o peso (r=0,48, p=0,03), CC (r=0,50, p=0,02), e CQ (r=0,55, p=0,01). Conclusões: Os resultados do presente estudo sugerem que, na amostra estudada, a obesidade na infância não interfere de forma significativa na capacidade física desses indivíduos, vista pela distância percorrida final, ao comparar os grupos. O ISWT não demonstrou, ainda, requerer esforço máximo na amostra em questão, quando considerada a FCmáx alcançada e sinas clínicos apresentados.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4344
Other Identifiers: 2013069130
Appears in Collections:Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Distanciapercorridarespostas_2017_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo1.51 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.