Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4288
Title: Análise de resistência mobilizada através de nega e repique elástico: estudo de caso
Authors: Câmara, Rayanne Rhayse Dantas
Keywords: Nega, repique elástico, controle cravação, estaca metálica, fórmula dinâmica.
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CÂMARA, Rayanne Rhayse Dantas. Análise de resistência mobilizada através de nega e repique elástico - estudo de caso. 2017. 18 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
Portuguese Abstract: Uma estaca é um elemento estrutural que transmite as cargas provenientes da superestrutura ao solo. Para garantir a adequada interação entre a estaca e o solo, deve-se medir e avaliar a capacidade de carga do sistema. Neste trabalho apresenta-se um estudo sobre a fundação de uma obra de um viaduto com 42 estacas metálicas do tipo perfil "H", cravadas por um bate-estaca hidráulico. São discutidos os resultados de estimativas da carga admissível do sistema solo-estaca através das fórmulas dinâmicas de Chellis, Hiley, Brix, Holandeses, Benabencq, Eytelwein, Vierendel, Redtenbacher e Smith modificada por Aoki. Para análise dos métodos dinâmicos, utilizaram-se os valores de nega e repique elástico obtidos em campo por do controle de cravação realizado em todas as estacas para a obtenção da resistência mobilizada. Os resultados obtidos com as fórmulas dinâmicas são comparados aos resultados fornecidos pelo método semiempírico de Décourt e Quaresma (1978). Realizaram-se três sondagens a percussão com SPT no terreno. Utilizou-se, nesse estudo, a sondagem média para os cálculos com o método semiempírico. Comparando-se os resultados das fórmulas dinâmicas com a estimativa do método semiempírico, verificou-se que a carga média admissível calculada pela fórmula de Hiley apresentou resultados mais próximos da carga admissível estimada pelo método de Decóurt e Quaresma (1978). Por outro lado, as fórmulas de Hiley, Chellis, Vierendel, Redtenbacher e Smith modificada por Aoki, apresentaram os valores médios mais homogêneos e os menores coeficientes de variação.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4288
Other Identifiers: 2012937900
Appears in Collections:Engenharia Civil

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
análise-resistência-mobilizada-Câmara-Artigo.pdfTCC - 2017.11.2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.