Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4197
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSousa, Josivânia Estelita Gomes de-
dc.contributor.authorAraújo, Luana Souza de-
dc.date.accessioned2017-06-29T17:27:33Z-
dc.date.available2017-06-29T17:27:33Z-
dc.date.issued2012-
dc.identifier2009026900pr_BR
dc.identifier.citationARAÚJO, Luana Souza de. A Casa de Passagem I e os motivos que justificam o acolhimento institucional de crianças em Natal/RN. 2012. 79f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social), Departamento de Serviço Social, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4197-
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsopenAccesspr_BR
dc.subjectCriançapr_BR
dc.subjectAcolhimentopr_BR
dc.subjectCasa de Passagem Ipr_BR
dc.titleA Casa de Passagem I e os motivos que justificam o acolhimento institucional de crianças em Natal/RNpr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Souza, Ilka de Lima-
dc.contributor.referees2Amaral, Susanira Maria Praxedes do-
dc.description.resumoA instituição família é compreendida como um grupo de pessoas que se une baseado em razões afetivas assumindo um compromisso de cuidado e proteção. De acordo com cada momento histórico e cultural algumas práticas vão ser determinadas e a partir disso, essas pessoas, principalmente os adultos vão se adaptar a elas, assumindo um papel, já que estes são os responsáveis por dar a base na qual as crianças vão construir sua identidade. No entanto, essas crianças e adolescentes sempre foram tratadas pela sociedade por meio de medidas paliativas, essa situação mudou apenas com a promulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente, onde essa visão foi substituída pelo ideal de proteção integral. A família vem se tornando central nas intervenções da política de assistência, no entanto, o que se observa é o que o Estado ao focalizar suas ações no âmbito da família, acaba por exigir desta a realização de competências que deveriam ser oferecidas por ele. Com isso, a família como um todo se vê cada vez mais vulnerabilizada e impedida de fornecer a proteção e as condições saudáveis de desenvolvimento para seus membros. Sendo então retratada como incapaz, a consequência dessa situação é a separação de seus membros do convívio familiar, já que estes se encontram em situação de perigo e risco pessoal. Logo, nosso objeto de pesquisa serão os motivos que justificam o afastamento do convívio familiar de crianças e o seu encaminhamento para as instituições de acolhimento. Nossa pesquisa foi realizada por meio de um questionário fechado, tendo como objetivo analisar os critérios que levam os profissionais dos órgãos competentes, quais sejam: Conselho Tutelar, SOS Criança e I Vara da Infância e da Juventude, a optarem por tal medida Tomaremos como ponto de análise a Casa de Passagem I, localizada em Natal/RN e que oferece o acolhimento à crianças de 0 a 6 anos.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentServiço Socialpr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LuanaSA_Monografia.pdfServiço Social 694,5 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.