Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4151
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorLima, Mayara Santa Rosa-
dc.contributor.authorSantos, Karol Rodrigues dos-
dc.date.accessioned2017-06-28T02:21:19Z-
dc.date.issued2017-06-
dc.identifier2012955407pr_BR
dc.identifier.citationSANTOS, Karol Rodrigues dos. Vitamina A no Leite Maduro de Lactantes a Termo e Pré-Termo. 2017. 44 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Nutrição) – Departamento de Nutrição, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4151-
dc.description.abstractA vitamina A é um micronutriente fundamental durante os períodos de gestação, lactação e primeira infância. Gestantes, lactantes e lactentes são considerados os principais grupos de risco para a deficiência desta vitamina e alguns fatores podem aumentar esse risco, como a prematuridade. O leite materno é o alimento mais indicado para recém-nascidos prematuros, portanto deve suprir suas necessidades de vitamina A. O objetivo deste estudo foi comparar as concentrações de retinol no leite maduro de lactantes a termo (≥ 37 semanas gestacionais) e pré-termo (< 37 semanas gestacionais). Foram recrutadas 110 lactantes, divididas em grupos a termo (n = 54) e pré-termo (n = 56), das quais foram coletados 4 mL de leite maduro entre o 30º e 55º dias pós-parto. O retinol foi analisado por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE). Concentrações acima de 30,0 μg/dL foram consideradas adequadas. As lactantes a termo e pré-termo apresentaram médias de retinol no leite maduro de 45,0 ± 12,1 μg/dL e 57,4 ± 18,4 μg/dL, respectivamente (p < 0,001), estando adequadas. As lactantes pré-termo possuíam concentração de retinol no leite maduro significativamente superior às lactantes a termo, o que aponta para uma adaptação fisiológica da glândula mamária em casos de prematuridade, permitindo altas concentrações de retinol por mais tempo no leite pré-termo. Tal condição reforça a importância do aleitamento materno para os recém-nascidos prematuros, visto que o leite de lactantes pré-termo parece ser adaptado às necessidades de seus bebês, auxiliando na constituição dos estoques hepáticos de vitamina A desses recém-nascidos.pr_BR
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsembargoedAccesspr_BR
dc.subjectRetinol; Prematuro; Leite humano; Idade gestacionalpr_BR
dc.titleVitamina A no Leite Maduro de Lactantes a Termo e Pré-termopr_BR
dc.title.alternativeVitamin A in Mature Milk of Term and Preterm Lactantspr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.description.embargo2018-07-01-
dc.contributor.referees1Lima, Mayara Santa Rosa-
dc.contributor.referees2Rodrigues, Karla Danielly da Silva Ribeiro-
dc.description.resumoA vitamina A é um micronutriente fundamental durante os períodos de gestação, lactação e primeira infância. Gestantes, lactantes e lactentes são considerados os principais grupos de risco para a deficiência desta vitamina e alguns fatores podem aumentar esse risco, como a prematuridade. O leite materno é o alimento mais indicado para recém-nascidos prematuros, portanto deve suprir suas necessidades de vitamina A. O objetivo deste estudo foi comparar as concentrações de retinol no leite maduro de lactantes a termo (≥ 37 semanas gestacionais) e pré-termo (< 37 semanas gestacionais). Foram recrutadas 110 lactantes, divididas em grupos a termo (n = 54) e pré-termo (n = 56), das quais foram coletados 4 mL de leite maduro entre o 30º e 55º dias pós-parto. O retinol foi analisado por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE). Concentrações acima de 30,0 μg/dL foram consideradas adequadas. As lactantes a termo e pré-termo apresentaram médias de retinol no leite maduro de 45,0 ± 12,1 μg/dL e 57,4 ± 18,4 μg/dL, respectivamente (p < 0,001), estando adequadas. As lactantes pré-termo possuíam concentração de retinol no leite maduro significativamente superior às lactantes a termo, o que aponta para uma adaptação fisiológica da glândula mamária em casos de prematuridade, permitindo altas concentrações de retinol por mais tempo no leite pré-termo. Tal condição reforça a importância do aleitamento materno para os recém-nascidos prematuros, visto que o leite de lactantes pré-termo parece ser adaptado às necessidades de seus bebês, auxiliando na constituição dos estoques hepáticos de vitamina A desses recém-nascidos.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentNutriçãopr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
dc.contributor.referees3Grilo, Evellyn Câmara-
Appears in Collections:Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Vitaminaleitemaduro_2017_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo901.92 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons