Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4143
Título: Diferentes estratégias de hidratação não alteram o perfil antropométrico e a percepção subjetiva do esforço em praticantes de Cross Training.
Título(s) alternativo(s): Different hydration strategies do not alter the anthropometric profile and the subjective perception of the effort in cross training practitioners.
Autor(es): Silva, Fharlley Lohann de Medeiros Rodrigues da
Palavras-chave: Hidratação;Antropometria;Sudorese;Esforço físico
Data do documento: 23-Jun-2017
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: SILVA, Fharlley Lohann de Medeiros Rodrigues da. Diferentes estratégias de hidratação não alteram o perfil antropométrico e a percepção subjetiva do esforço em praticantes de Cross Training. 39f, 2017. Artigo Científico (Graduação em Nutrição) - Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Santa Cruz, 2017.
Resumo: Objetivo: O objetivo do estudo foi comparar diferentes estratégias de hidratação sobre a antropometria, a taxa de sudorese e a percepção subjetiva do esforço em praticantes de cross training. Métodos: Amostra composta por 20 indivíduos de ambos os sexos, com idade entre 18 e 43 anos, praticantes de cross training. Os mesmos foram avaliados durante três semanas em duas etapas: a primeira etapa consistiu na aplicação do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) na versão curta, no monitoramento de variáveis antropométricas e da força de preensão palmar. Na segunda etapa, os indivíduos foram submetidos a duas estratégias de hidratação distintas: American College of Sport Medicine (2007) e Timothy David Noakes (2004), sendo 1 semana para cada estratégia. Foram avaliados a antropometria, força de preensão palmar, taxa de sudorese e percepção subjetiva do esforço antes e após cada intervenção. Resultados: O IMC entre os participantes foi em média 21,48kg/m² (eutrofia), e de acordo com o IPAQ, metade dos indivíduos era fisicamente ativo. Comparando as duas estratégias de hidratação não houve diferença significativa para perda de peso (p=0,824) e percentual de gordura (p=0,503). Não houve diferença significativa na massa magra (p=0,510). Tal afirmação, anteriormente citada, encontra respaldo no fato de que a diferença média da área muscular do braço e da força de preensão palmar não apresentou diferença significativa (p=0,542; p=0,817 respectivamente) entre as estratégias de hidratação. A taxa de sudorese (p=0,263) e o percentual de desidratação (p=0,271) não apresentaram diferenças significativas. Foi observado também concordância para a percepção subjetiva do esforço entre as duas estratégias nos três momentos de avaliação (p>0,05). Conclusão: Não houve alterações significativas observadas com relação à antropometria, taxa de sudorese, grau de desidratação e a percepção subjetiva do esforço, entre os praticantes de cross training submetidos às diferentes estratégias de hidratação.
Abstract: Objective: The objective of the study was to compare different hydration strategies on anthropometry, a sweating rate and a subjective perception of effort in cross training practitioners. Methods: Sample composed of 20 individuals of both sexes, with ages between 18 and 43 years old, practicing cross training. The most advanced of three stages in three stages are: a first stage consisted of the application of the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) in the short version, without monitoring of anthropometric variables and palmar grip strength. In the second stage, the data were submitted to two different hydration strategies: American College of Sport Medicine (2007) and Timothy David Noakes (2004), being 1 week for each strategy. An anthropometry, palmar grip strength, sweating rate, and subjective perception of exertion were evaluated before and after each intervention. Results: The BMI among participants in the media 21.48kg / m² (eutrophic), and according to the IPAQ, half of the applications were physically active. Comparing two hydration strategies, there was no significant difference for weight loss (p = 0.824) and fat percentage (p = 0.503). There was no significant difference in lean mass (p = 0.510). (P = 0.542, p = 0.817 respectively) as a hydration strategy. (P = 0.542, p = 0.817 respectively) as a hydration strategy. The sweating rate (p = 0.263) and the percentage of dehydration (p = 0.271) showed no significant residues. It was also observed agreement for a subjective perception of the effort between the two strategies in the three moments of evaluation (p> 0.05). Conclusion: Not detected significant observed regarding anthropometry, sweating rate, degree of dehydration and subjective perception of effort, among cross training practitioners submitted to different hydration strategies.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4143
Outros identificadores: 2013025583
metadata.dc.description.embargo: 2017-11-05
Aparece nas coleções:FACISA - Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Cross Training, Hidratação, Composição Corporal, Percepção de Esforço - Fharlley.pdf481.78 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.