Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/4019
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFernandes, Leandro Trigueiro-
dc.contributor.authorSilva, Fernanda Machado Soares da-
dc.date.accessioned2017-06-21T15:08:08Z-
dc.date.available2017-06-21T15:08:08Z-
dc.date.issued2015-
dc.identifier2008002446pr_BR
dc.identifier.citationSILVA, Fernanda Machado Soares da. Comprometimento organizacional: um estudo de caso na LT Engenharia e Consultoria. 2015. 57f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração), Departamento de Ciências Administrativas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/4019-
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsopenAccesspr_BR
dc.subjectComprometimento Organizacionalpr_BR
dc.subjectEBACOpr_BR
dc.subjectConstrução Civilpr_BR
dc.titleComprometimento organizacional: um estudo de caso na LT Engenharia e Consultoriapr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Medeiros, Carlos Alberto Freire-
dc.contributor.referees2Ferreira, Antônio Carlos-
dc.description.resumoO presente trabalho tem como objetivo avaliar o comprometimento organizacional dos funcionários, da LT Engenharia e consultoria. Para isso foi elaborado um estudo de caso através da pesquisa caracterizada como exploratória descritiva que utilizou o modelo EBACO desenvolvido por Medeiros (2003). A LT Engenharia e Consultoria possui cerca de 40 funcionários, entre engenheiros, administrador, estagiários e operários da construção civil. Os dados foram tabulados e analisados no programa Microsoft Office Excel 2013, onde as médias dos indicadores de cada base foram multiplicadas pelos seus respectivos pesos apresentados por Bastos et al. (2008), os quais foram somados para alcançar o escore de cada base. Os escores foram considerados para classificar o nível de comprometimento segundo intervalos propostos por Bastos et al. (2008). Constatou-se que a única base que ficou mais próximo do indicado por Bastos (2008) foi a Afiliativa, que obteve um escore de comprometimento acima da média, e o esperado era um alto comprometimento. As demais bases tiveram resultados fora do esperado. Mesmo tendo um comprometimento acima da média, e não alto comprometimento, a base que obteve maior escore ainda foi à afetiva, o que indica que de forma geral os funcionários se sentem parte do grupo. Ao comparar as bases com os dados ocupacionais e demográficos foi constatado que dependendo do grau de escolaridade, quanto maior a escolaridade maior o escore, o que mostra que funcionários mais instruídos apresentam um melhor resultado em comprometimento em todas as bases, e na área de atuação dentro da organização, os funcionários que trabalham em obra apresentam um baixo comprometimento, na base afetiva e obrigação em permanecer, com escores muito baixos, o que indica a pouca identificação com os valores da empresa e há ausência de culpa em deixar a empresa.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentAdministraçãopr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
Appears in Collections:Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ComprometimentoOrganizacional_Silva_2015.pdfAdministração1,31 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.