Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3971
Title: A eficiência econômica das operadoras de planos de saúde do nordeste: um estudo das operadoras odontológicas utilizando análise envoltória de dados
Authors: Gonçalves, Aline Dayane Leônez
Keywords: Eficiência;Operadoras de Plano de Saúde;Análise envoltória de dados
Issue Date: 2015
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: GONÇALVES, Aline Dayane Leonêz. A eficiência econômica das operadoras de planos de saúde do nordeste: um estudo das operadoras odontológicas utilizando análise envoltória de dados. 2015. 78f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Contábeis), Departamento de Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.
Portuguese Abstract: O Sistema de Saúde Brasileiro é composto por um conjunto de serviços do setor público e privado voltados para atividades de promoção, proteção e recuperação da saúde, é constituído por pelo menos dois subsistemas: Governamental (Sistema Único de Saúde) e Privado (Sistema Suplementar de Saúde). Esta pesquisa foca-se no Sistema de Saúde Suplementar que é regulamentado pela Lei 9656/1998 e fiscalizado pela ANS (Agência Nacional de Saúde suplementar). O objetivo deste trabalho é analisar a eficiência econômica das Operadoras de Planos de Saúde Exclusivamente Odontológicos ativas no Nordeste. Para isso, foi utilizada a Análise Envoltória de Dados (DEA) sobre os dados contábeis das operadoras em estudo, do período de 2011 a 2014 fornecidos pela ANS, possibilitando medir a eficiência econômica das operadoras que estão agrupadas em duas modalidades: cooperativa odontológica e odontologia de grupo. Buscou-se também responder a seguinte hipótese: Há eficiência de escala no âmbito das operadoras de planos de saúde exclusivamente odontológicos do nordeste. Com isso, esta pesquisa possui elevada importância social, pois a participação da assistência privada à saúde no Brasil é bastante significativa, já que 25% da população Brasileira possui planos de saúde e 10% possuem planos exclusivamente odontológicos. Contudo a identificação do nível de eficiência em que a empresa está operando é útil para orientá-la a melhorar seu desempenho ou implantar tecnologias para aumentar a produção de forma mais racional. Como também, para servir como suporte a sociedade na tomada de decisões quanto a contratação de planos. Assim, os principais resultados obtidos neste trabalho foram: A maioria das operadoras avaliadas precisam melhorar seu desempenho econômico, pois no modelo BCC a média da eficiência das operadoras ficou entre 0,71 e 0,75, nos quatro anos analisados, onde apenas seis operadoras foram eficientes em 2011, 2012 e 2013 e oito em 2014. Já no modelo CCR apenas duas operadoras apresentaram-se eficientes em 2011 e 2014, três em 2013 e uma em 2012, indicando uma média de eficiência entre 0,5 e 0,67, no período analisado. Ao testar a eficiência de escala concluiu-se que há eficiência crescente de escala no âmbito da operadoras odontológicas. Assim o DEA mostrou-se adequado para determinar o nível de eficiência das Operadoras.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3971
Other Identifiers: 2011061151
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AlineDLG_Monografia.pdfCiências Contábeis 849.42 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.