Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3844
Título: Utilização do teste de impairment nas empresas de pequeno e médio porte no município de NATAL/RN
Autor(es): Silva, Danielle Catarinne da
Palavras-chave: Teste de recuperabilidade de ativos;Padrões internacionais de contabilidade;Comitê de Pronunciamentos Contábeis;Pequenas e médias empresas
Data do documento: 2016
Editor: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Referência: SILVA, Danielle Catarinne da. Utilização do teste impairment nas empresas de pequeno e médio porte no município de Natal/RN. 2016. 65f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Contábeis), Departamento de Ciências Contábeis, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Resumo: O objetivo geral do presente trabalho é investigar a utilização do teste de recuperabilidade nas PMEs no município de Natal/RN. Através da estatística descritiva de uma amostra não probabilística, foram analisados 22 questionários, os quais abrangeram cerca de aproximadamente 278 empresas de pequeno e médio porte e foram respondidos por profissionais de contabilidade, dentre gerentes, supervisores e chefes de departamentos contábeis de escritórios situados no município estudado. A partir do estudo realizado verificou-se que apenas a minoria dos respondentes possui um bom entendimento acerca do teste e que a educação continuada é uma influente forma de propagação das normas internacionais de contabilidade aos profissionais contábeis e aos escritórios de contabilidade. Observou-se que a maioria dos respondentes considera o teste de recuperabilidade relevante, contudo acreditam que os usuários da informação não entendem a importância do teste. Para a maior parte dos respondentes inexiste a relação entre as empresas nas quais os testes de recuperabilidade são efetuados com aquelas que melhor remuneram os escritórios de contabilidade. Depreendeu-se que o principal benefício obtido a partir da aplicação do teste diz respeito ao fato de tornar fidedignas e confiáveis as informações sobre os ativos figurados nos Balanços Patrimoniais das entidades. Os principais resultados obtidos com o estudo referem-se à aplicabilidade do teste de recuperabilidade, a partir do qual foi possível observar que somente 9,0% dos respondentes informaram ter efetuado o teste em PMEs, contudo, apenas 4,5% dos respondentes informaram atender a todos os procedimentos de aplicação previstos no CPC 01 (R1) e no Pronunciamento Técnico PME em sua Seção 27. Tais percentuais são avaliados como discretos em relação ao total pesquisado, dessa forma, tendo em vista as baixas percentagens verificadas, são possibilitadas as inferências de que o teste de recuperabilidade não é utilizado e que os procedimentos de aplicação previstos não são executados em empresas PMEs no município de Natal/RN, sendo a principal razão que influencia a não aplicabilidade do teste a falta de conhecimento e de interesse dos sócios e responsáveis pelas PMEs abrangidas pela pesquisa acerca do teste, bem como a falta de conhecimento das possíveis vantagens que a aplicação deste pode trazer.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3844
Outros identificadores: 2012915466
Aparece nas coleções:Ciências Contábeis

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DanielleCS_Monografia.pdfCiências Contábeis 1.37 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.