Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3780
Title: Distribuição espacial e temporal de ninhos de Eretmochelys imbricata no litoral sul do Rio Grande do Norte, Brasil
Authors: Melo, Rafael Ferraz de
Keywords: Tartaruga marinha,;Sea turtle;distribuição;Distribution;TAMAR;TAMAR
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MELO, Rafael Ferraz de. Distribuição espacial e temporal de ninhos de eretmochelys imbricata no litoral sul do Rio Grande do Norte, Brasil. 2016. 25 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia)- Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal-RN, 2016.
Portuguese Abstract: Hoje existem 7 espécies de tartarugas marinhas no mundo, sendo que 5 delas ocorrem no Brasil. No Rio Grande do Norte a principal espécie que nidifica é a Eretmochelys imbricata, com 98% dos ninhos. Esta espécie está na Lista Vermelha da IUCN, classificada como “criticamente ameaçada”, e o grande motivo dessa classificação foi o uso de sua carapaça para artesanato, enfeite e a utilização da carne e dos ovos. Hoje o impacto que sofre esta espécie esta relacionado ao desenvolvimento costeiro e a interação com a pesca. Diante da necessidade de preservação da espécie, o presente trabalho apresenta dados sobre a distribuição dos ninhos tanto espacial quanto temporal no litoral sul do Rio Grande do Norte. O principal objetivo do trabalho foi verificar se áreas com maiores ocorrências de nidificação têm as maiores taxas de emergência de filhotes. E se variáveis como iluminação fixa, parcial e o afloramento rochoso influenciam na escolha do local de desova. Foram criadas 38 células de 100 metros. em 3 praias, onde ocorre o monitoramento intensivo do TAMAR. O N amostral utilizado foi de 333 ninhos em 5 temporadas, a média da taxa de emergência foi de 57% e a mediana foi de 66%. Através do teste qui-quadrado verificou-se que não há influência da iluminação fixa ou variável na escolha da área de nidificação das Eretmochelys imbricata. Mas mostrou uma diferença significativa na escolha de áreas com e sem afloramento rochoso. A relação entre área de desova e taxa de emergência não foi significativa. Isto demonstra que características ambientais são mais significativas para o sucesso de emergência do que o local da área selecionada para a desova. Mas os locais selecionados pelas fêmeas vão influenciar na necessidade de manejos dos ninhos, por conta de mudanças que ocorrem nos locais dos ninhos, onde as chuvas, as erosões e as inundações nos ninhos, assim como as pressões antrópicas, acabam afetando o sucesso de emergência dos filhotes.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3780
Other Identifiers: 2012934766
Appears in Collections:Ecologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DistribuiçaoEspacial_Melo_2016.pdfMonografia1,1 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.