Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3405
Title: Teste do degrau incremental: avaliação do desempenho e ativação muscular na Insuficiência Venosa Crônica
Authors: Cabral Neto, Sadote Macêdo
Keywords: Teste do Degrau Incremental;;Insuficiência Venosa Crônica (IVC);;Eletromiografia de Superfície;
Issue Date: 1-Dec-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: CABRAL NETO, Sadote Macêdo. Teste do degrau incremental: avaliação do desempenho e ativação muscular na Insuficiência Venosa Crônica. 2016. 45f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: INTRODUÇÃO: A insuficiência venosa crônica (IVC) leva à prejuízos funcionais na articulação talo crural que limitam as atividades cotidianas dos pacientes. Os métodos de diagnóstico atualmente, limitam-se a avaliações estáticas. Testes funcionais, que simulam as atividades de vida diária, como o teste do degrau incremental, poderiam complementar a avaliação cinético funcional desses sujeitos antes de programas de tratamento. OBJETIVO: Avaliar a atividade elétrica dos músculos dos membros inferiores (reto femoral, gastrocnêmio, sóleo e tibial anterior) em indivíduos com IVC comparado a saudáveis, quando submetidos ao teste do degrau incremental. MATERIAIS E MÉTODOS: A amostra foi composta por indivíduos de ambos os sexos, entre 30 a 60 anos, com diagnóstico clínico de IVC e classificação CEAP 2 a 6 sintomático e assintomático com ou sem úlcera ativa de até 4 cm, IMC < 30 kg/m2, ausência de doença arterial obstrutiva periférica associada com índice tornozelo braquial (ITB) entre 0,9 e 1,4, diabetes, alterações cognitivas, problemas ortopédicos, neurológicos, reumatológicos e por um grupo de indivíduos saudáveis pareados por idade, sexo e índice de massa corporal (IMC). Foi realizada a avaliação antropométrica, goniometria de tornozelo e mensuração de frequência cardíaca e percepção subjetiva de esforço (escala BORG modificada) antes durante e depois da realização do teste. O protocolo do teste do degrau incremental (TDIn) foi realizado em um degrau. A cadência do teste foi imposto por sinais sonoros obtidos a partir de um CD/metrônomo. A mensuração dos sinais eletromiográficos foi feita com a utilização de 4 canais de captação e os eletrodos foram posicionados nos músculos do membro inferior com maior CEAP do grupo com IVC (GCIVC) e no membro inferior dominante dos indivíduos do grupo sem IVC (GSIVC): Reto Femoral, Gastrocnêmio Medial, Sóleo e Tibial Anterior. A análise estatística foi feita por meio de valores absolutos e relativos, expressos em médias, desvio padrão e medianas. A normalidade foi verificada pelo teste de Shapiro-Wilk, a análise intergrupo pelo teste Mann-Whitney e pelo Test t não pareado. O teste de ANOVA Two-way com post teste de Bonferroni foi utilizado para medidas repetidas a fim de comparar a atividade elétrica entre os grupos e os momentos de cada teste. RESULTADOS E DISCUSSÃO: A amostra do estudo foi composta por 16 indivíduos, sendo 8 no GCIVC. Foi encontrado um menor desempenho no número de degraus executados no GCIVC quando comparados com os saudáveis (p = 0,02), já que requer um maior trabalho e gasto energético, além de uma biomecânica eficaz e íntegra. Nossos resultados encontraram diferença estatística no músculo tibial anterior entre os momentos (p = 0,01) e grupos (p = 0,04) do teste, entre os grupos no sóleo (p = 0,01) e entre os momentos no gastrocnêmio medial (p = 0,02), consideramos tal achado como um mecanismo de compensação muscular para a manutenção da atividade solicitada. CONCLUSÃO: O teste de degrau incremental mostrou-se eficaz na identificação de indivíduos com IVC quando comparados a sujeitos saudáveis, sendo o seu uso sugerido para avaliação clínica e cinético-funcional para essa população.
Abstract: INTRODUCTION: Chronic venous insufficiency (CVI) leads to functional impairment in crural talus joint that limit daily activities of patients. Diagnostic methods currently are limited to static evaluations. Functional tests that simulate daily life activities, such as the incremental step test, could complement the functional kinetic evaluation of these subjects before treatment programs. To evaluate the electrical activity of the muscles of the lower limbs (rectus femoris, gastrocnemius, soleus and tibialis) in subjects with CVI compared to healthy, when subjected to test incremental step. MATERIALS AND METHODS: The sample was composed of individuals of both sexes, between 30 to 60 years with a clinical diagnosis of CVI and CEAP 2-6 symptomatic and asymptomatic with or without active ulcer of up to 4 cm, BMI <30 kg / m 2, absence of peripheral arterial occlusive disease associated with ankle brachial index (ABI) between 0.9 and 1.4, diabetes, cognitive disorders, orthopedic problems, neurological, rheumatological and a group of healthy subjects matched for age, sex and Body mass index (BMI). An anthropometric evaluation, ankle goniometry and heart rate measurement and subjective perception of effort (modified BORG scale) were performed before and during the test. The incremental step test protocol (TDIn) was performed in one step. The cadence of the test was imposed by sound signals obtained from a CD / metronome. The measurement of electromyographic signals was made with the use of four acquisition channels and the electrodes were placed in the lower limb muscles with higher CEAP group with CVI (GC IVC) and the dominant leg of the individuals in the group without CVI (GS IVC ): Femoral Challenge, Medial Gastrocnemius, Soleus and Tibial Anterior. Statistical analysis was performed using absolute and relative values, expressed as means, standard deviation and medians. Normality was verified by the Shapiro-Wilk test, the intergroup analysis by the Mann-Whitney test and by the Unpaired Test t. The ANOVA Two-waywith Bonferroni post test was used for repeated measures to compare the electrical activity between groups and times of each test. RESULTS AND DISCUSSION: The study sample was composed of 16 individuals, 8 GC in CVI. A lower performance was found in the number of steps executed on GC CVI compared to healthy subjects (p = 0.02), as it requires more labor and energy expenditure as well as a fully effective and biomechanics. Our results found statistical difference in the tibialis anterior muscle between the groups (p = 0.01) and groups (p = 0.01) between the groups in the soleus muscle (p = 0.01) and between the moments in the medial gastrocnemius (P = 0.02), we consider this finding as a mechanism of muscle compensation for the maintenance of the requested activity. CONCLUSION: The incremental step test was effective in identifying individuals with CVI compared to healthy subjects, and its suggested use for clinical and kinetic-functional evaluation for this population.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3405
Other Identifiers: 2012946168
Appears in Collections:Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Testedegrauincremental_2016_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Competo946.58 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
Elementos pré-textuais TCCTexto Completo415.07 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons