Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3404
Title: Alterações dos pés de idosos com Diabetes Mellitus tipo 2: relação com controle postural
Authors: Dantas, Maria Etielma
Keywords: Idoso. Diabetes Mellitus. Avaliação.
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: DANTAS, Maria Etielma. Alterações dos pés de idosos com Diabetes Mellitus tipo 2: relação com controle postural. 2016. 43f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia) - Departamento de Fisioterapia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: Introdução: O aumento da prevalência de pessoas idosas com Diabetes Mellitus é preocupante. As alterações causadas pelo avanço da idade somadas aos prejuízos ocasionados por essa doença tornam o diabetes objetivo de estudos. Objetivo: Caracterizar os idosos com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) quanto ao número e tipo de alterações dos pés e relacioná-los com o controle postural, utilizando o Mini BESTest. Método: Trata-se de um estudo observacional analítico de caráter transversal cuja amostra foi constituída por 68 idosos acima de 60 anos, com diagnóstico de DM2 e de ambos os sexos. As variáveis analisadas foram classificadas em dados sociodemográficos, clínico-funcionais e dos sistemas do controle postural. Resultados: A amostra caracterizou-se por uma maioria feminina (64,7%), branca (42,6%), escolaridade até o primário incompleto (30,9%), e média etária 69,47 ± 6,82 anos. O auto relato de boa saúde geral (51,5%) e 39,7% eram praticantes de atividade física regular. Obtiveram como média de IMC 28,21 ± 4,41 Kg/m2 e média de 3,18% ± 0,73 de doenças; uso de medicamentos com média, em número, de 6,04 ± 2,65; diagnóstico de DM2 com média 15,54 ± 11,90 anos; glicemia de Jejum em média 149,82 ± 70,59 mg/dL; queixa de dor em membros inferiores em 60,3% dos idosos, com média e desvio padrão (DP) da EVA 4,18 ± 3,96. Número de alterações nos pés com média de 2,07 ± 0,73. A média total do Mini BESTest foi 75,29% e DP 19,20, em que o teste respostas posturais apresentou a menor média (57,90 ± 31,80). Houve correlação significativa entre o Mini BESTest e a idade (ρ= -0,578; p= 0,001). Houve associação significativa entre o Mini BESTest e as variáveis: faixa etária (p<0,002), número de alterações nos pés (p=0,047), calosidades (p=0,011), alterações tróficas da pele (p=0,041) e hiperqueratose (p=0,024). Conclusão: Alterações dos pés em idosos diabéticos tipo 2 estão relacionadas ao prejuízo do controle postural.
Abstract: Introduction: The increase in the prevalence of elderly people with Diabetes Mellitus is worrying. The changes caused by the advancement of the age added to the damages caused by this disease make diabetes the objective of studies. Objective: To characterize the elderly with Diabetes Mellitus type 2 (DM2) regarding the number and type of foot alterations and to relate them to the postural control, using the Mini BESTest. Method: This is an observational, cross-sectional study whose sample consisted of 68 elderly individuals over 60 years old, diagnosed with DM2 and both sexes. The analyzed variables were classified into sociodemographic, clinical-functional and postural control systems. Results: The sample was characterized by a female majority (64.7%), white (42.6%), schooling until incomplete primary (30.9%), and mean age 69.47 ± 6.82 years. Self-report of general good health (51.5%) and 39.7% were regular physical activity practitioners. They obtained a mean BMI of 28.21 ± 4.41 kg / m2 and a mean of 3.18% ± 0.73 of diseases; Use of drugs with a mean number of 6.04 ± 2.65; Diagnosis of DM2 with a mean of 15.54 ± 11.90 years; Fasting glycemia averaged 149.82 ± 70.59 mg / dL; Complaint of pain in the lower limbs in 60.3% of the elderly, with mean and standard deviation (SD) of the VAS 4.18 ± 3.96. Number of changes in feet with a mean of 2.07 ± 0.73. The overall mean of the Mini BESTest was 75.29% and DP 19.20, in which the postural responses test presented the lowest mean (57.90 ± 31.80). There was a significant correlation between Mini BESTest and age (ρ = -0.578; p = 0.001). There was a significant association between the Mini BESTest and the variables: age range (p <0.002), number of changes in feet (p = 0.047), callosities (p = 0.011), trophic changes in the skin (p = 0.041) and hyperkeratosis = 0.024). Conclusion: Changes in feet in elderly diabetic type 2 are related to the damage of postural control.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3404
Other Identifiers: 2012946060
Appears in Collections:Fisioterapia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alteraçõespésidosos_2016_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo511,15 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons