Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3396
Title: Células-tronco mesenquimais humanas e reparo de DNA: Uma análise in silico de dados de microarray
Authors: Silva, Elielson Veloso da
Keywords: Células-tronco mesenquimais humanas (CTMs);Senescência;Reparo de DNA;Instabilidade genética
Issue Date: Dec-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: SILVA, Elielson Veloso da. Células-tronco mesenquimais humanas e reparo de DNA: Uma análise in silico de dados de microarray. 2016. 104 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina)- Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.
Portuguese Abstract: Células-tronco mesenquimais, do inglês Mesenchymal Stem cells (hMSC) são células multipotentes de origem estromal. Essas células têm sido amplamente utilizadas no campo da medicina regenerativa devido a sua capacidade de diferenciação tecidual, plasticidade funcional, bem como possibilidade de expansão in vitro. Os efeitos da senescência na estabilidade genética têm sido discutidos ao longo dos anos, de modo que um estudo anterior observou que a senescência em células-tronco mesenquimais está associada com anormalidades cromossômicas, o que pode levar ao surgimento de doenças relacionadas à idade, tais como câncer e Alzheimer, já que, por exemplo, a instabilidade genética pode ser responsável pela aquisição de características tumorigênicas tanto in vitro como in vivo. Nesse estudo, a expressão de vias de reparo de DNA em células-tronco mesenquimais humanas extraídas do cordão umbilical e que apresentam uma inversão cromossômica paracêntrica constitucional (CTMs/inv) foi comparada à expressão em células-tronco com cariótipo normal (CTMs/norm) quando jovens (Passagem 9) e senescentes (Passagem 18). Os dados de microarranjo desses grupos celulares foram analisados in silico através de duas ferramentas de bioinformática, Gene Set Enrichiment Analysis (GSEA) e Gene Prioritization (Endeavour). Os resultados mostraram que, quando comparadas com as células jovens, ambos os grupos de células senescentes apresentaram vias de reparo de DNA menos expressas. Já ao analisarmos os dois grupos de células jovens, não foi observada expressão diferencial de vias de reparo de DNA, enquanto que CTMs/inv possuem vias de reparo de DNA menos expressas em comparação com as células normais senescentes. Esses resultados sugerem que a senescência afeta a capacidade que as células tronco possuem de reparar danos no DNA, dada a inibição de diversas vias de reparo, principalmente em CTMs/inv, que apresentam instabilidade genética acentuada.
Abstract: Human mesenchymal stem cells (hMSC) are multipotent stem cells of stromal origin. These cells have been widely used for cell therapy means in regenerative medicine due to their tissue diferentiation capacity as well as in vitro expansion and functional plasticity. The effects of senescence on genetic stability has been discussed througout the years, so that a previous study has found that stem cell senescence is associated with chromossomal abnormalities, which can explain the reason why these cells have been linked to age-related diseases such as cancer and Alzheimer’s disease. Furthermore, genetic instability can be responsible for the acquisition of tumorigenesis features in vitro and in vivo. In this study, the expression of DNA repair pathways of umbilical cord- derived hMSC harboring a paracentric chromosomal inversion (MSC/inv) was compared to a normal karyotype lineage (MSC/n) in early (Passage 9) and late (Passage 18) in vitro passages. Microarray data from these cell groups was analyzed through two in silico approaches: Gene Set Enrichment Analysis (GSEA) and gene prioritization (Endeavour). When compared to young stem cells, our results show that both groups of senescent stem cells present reduced DNA repair expression. By looking at the two groups of young stem cells, we found that there is no differential expression of DNA repair pathways between them, whereas senescent stem cell with inverted karyotype showed lower expression of DNA repair pathways. These findings support the idea that senescence alters DNA repair capacity of CTMs, given the inhibition of several DNA repair pathways, especially on MSCs/inv, which presented accentuated genetic instability.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3396
Other Identifiers: 2011018240
Appears in Collections:Biomedicina

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Células-troncoMesenquimaisHumanas_Silva_2016.pdfMonografia2,69 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.