Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/3131
Title: Corantes artificiais: riscos à saúde e necessidade de revisão da regulamentação brasileira
Other Titles: Artificial dyes: health risks and the need for revision of Brazilian regulations
Authors: Mota, Isadora Gomes Cavalcante
Keywords: Corantes de Alimentos;Revisão;Toxicidade;Legislação sobre Alimentos;Agência Nacional de Vigilância Sanitária;Food Coloring Agents;Toxicity;Legislation, Food;Brazilian Health Surveillance Agency;Review
Issue Date: 12-Dec-2016
Publisher: Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Citation: MOTA, Isadora Gomes Cavalcante. Corantes artificiais: riscos à saúde e necessidade de revisão da regulamentação brasileira. 2016. 35f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Nutrição) - Departamento de Nutrição, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, 2016.
Portuguese Abstract: O presente estudo avaliou a necessidade de revisão da legislação brasileira para o uso de corantes artificiais em alimentos. Foi realizada busca sobre riscos promovidos à saúde e regulamentação internacional e nacional, por meio das bases de dados Science Direct, PubMed, Scielo, Springer, Digital Scolarship e Wiley Online Library, utilizando descritores em saúde. Publicações apontam a ocorrência de hipersensibilidade, carcinogenicidade e hiperatividade em roedores associadas ao uso de inúmeros corantes artificiais dos grupos azo e trifenilmetano. Também demonstram a preferência atual dos consumidores por alimentos saudáveis e com menos corantes. Entretanto, a legislação brasileira vem autorizando o aumento do número de substâncias permitidas, seguindo um caminho inverso ao internacional. Outro dado preocupante é que a concentração de corantes em alimentos direcionados para o grupo infantil ultrapassa os limites recomendados pela legislação. Conclui-se que a regulamentação brasileira sobre corantes artificiais necessita ser revisada, garantindo a segurança da população quanto ao consumo de alimentos industrializados.
Abstract: The present study evaluated the need for revision of Brazilian legislation for the use of artificial colors in food. A search was carried out on health risks and international and national regulations, through Science Direct, PubMed, Scielo, Springer, Digital Scolarship and Wiley Online Library databases, using health descriptors. Publications indicate the occurrence of hypersensitivity, carcinogenicity and hyperactivity in rodents associated with the use of innumerable artificial dyes from the azo and triphenylmethane groups. They also demonstrate consumers' current preference for healthier foods with fewer dyes. However, Brazilian legislation has allowed the increase of the number of permitted substances, adopting a posture contrary to the one of countries such as USA and EU. Another worrying fact, described in the literature, is the fact that the concentration of dyes in foods directed to the infant group exceeds the limits recommended by the legislation. We concluded that Brazilian regulation on artificial dyes needs to be revised, guaranteeing the population's safety regarding the consumption of industrialized foods.
URI: http://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/3131
Other Identifiers: 2011035634
Appears in Collections:Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Corantesartificiaisriscos_2016_Trabalho de Conclusão de CursoTexto Completo540,76 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.