Please use this identifier to cite or link to this item: http://monografias.ufrn.br/handle/123456789/2914
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRodrigues, Maísa Paulino-
dc.contributor.authorAladim, Arthur César Gomes-
dc.date.accessioned2016-10-06T14:00:22Z-
dc.date.available2016-10-06T14:00:22Z-
dc.date.issued2015-12-04-
dc.identifier2011035080pr_BR
dc.identifier.citationALADIM, Arthur César Gomes. Saberes e práticas de mães sobre a saúde bucal na primeira e segunda infância. 2015. Monografia (Graduação) - Departamento de Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.pr_BR
dc.identifier.urihttp://monografias.ufrn.br/jspui/handle/123456789/2914-
dc.description.abstractThe National Policy on Health Promotion (2006), seeks to put into practice the principles of SUS and has as one of its goals the expansion of autonomy and responsibility of individuals and society through health education. From the perspective of making the individual capable of propagating healthy habits highlights the role of parents in the oral health care of their children. So the targeted educational strategies, in particular, mothers and pregnant women are constituted as fundamental to the empowerment of these clients. The child in infancy and childhood has certain morphological features that the layman's eyes are classified as diseases and malformations, however, are characterized as a natural condition and transient, typical of its development, is fundamental to socialize this knowledge. OBJECTIVE: The aim was to identify the knowledge and practices Mother's Planalto neighborhood, on oral health in infancy and childhood. METHODS: This is a qualitative research aimed at 10 women, mothers of children under seven years old, indexed the Basic Unit of the Presidential Health. The sample was intentional, where women were invited to participate in the study spontaneously. Interviews were conducted using a semistructured script, all of which were recorded. After a meticulous reading of the material, they identified the senses nucleus and continued with the construction of categories that were analyzed based on the content analysis technique proposed by Minayo. RESULTS: The results show that the mothers' knowledge about oral health in infancy and childhood is limited, causing surprise to the researcher as they are all accompanied by the Family Health Strategy. CONCLUSIONS: It is necessary to analyze the actions and educational strategies adopted by the oral health team of ESF, in order to identify the limits and difficulties aiming for a redirection of such actions so that mothers and pregnant women can develop their autonomy when it comes to your health oral and their children.pr_BR
dc.languagept_BRpr_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio Grande do Nortepr_BR
dc.rightsopenAccesspr_BR
dc.subjectSaúde bucalpr_BR
dc.subjectMãepr_BR
dc.subjectEducação em saúdepr_BR
dc.titleSaberes e práticas de mães sobre a saúde bucal na primeira e segunda infância.pr_BR
dc.typebachelorThesispr_BR
dc.contributor.referees1Costa, Iris do Céu Clara-
dc.contributor.referees2Silva, Edna Maria da-
dc.description.resumoA Política Nacional de Promoção da Saúde (2006), busca por em prática os princípios do SUS e tem como um de seus objetivos a ampliação da autonomia e corresponsabilidade de sujeitos e coletividade por meio da educação em saúde. Na perspectiva de tornar o sujeito capaz de propagar hábitos saudáveis destaca-se o papel dos pais no cuidado à saúde bucal de seus filhos. Assim as estratégias educativas direcionadas, em especial, às mães se constituem como fundamentais para o empoderamento dessa clientela. A criança na primeira e segunda infância apresenta determinados aspectos morfológicos que ao olhar do leigo são classificados como doenças e más formações, entretanto, caracterizam-se como uma condição natural e transitória, própria do seu desenvolvimento, sendo fundamental socializar esse conhecimento. OBJETIVO: O objetivo foi conhecer os saberes e práticas das mães do bairro Planalto, sobre a saúde bucal na primeira e segunda infância. MÉTODOS: Trata-se uma pesquisa qualitativa direcionada a 10 mulheres, mães de crianças de até sete anos de idade, adstritas à Unidade de Saúde da Família do Planalto. A amostra foi do tipo intencional, onde as mulheres foram convidadas a participar da pesquisa espontaneamente. Foram realizadas entrevistas por meio de um roteiro semiestruturado, sendo todas elas gravadas. Após uma leitura flutuante do material, identificaram-se os núcleos de sentidos e prosseguiu-se com a construção de categorias que foram analisadas com base na técnica de análise de conteúdo proposta por Minayo. RESULTADOS: Os resultados apontam que o conhecimento das mães acerca da saúde bucal na primeira e segunda infância é limitado, causando surpresa ao pesquisador visto que todas elas são acompanhadas pela estratégia Saúde da Família.pr_BR
dc.publisher.countryBrasilpr_BR
dc.publisher.departmentOdontologiapr_BR
dc.publisher.initialsUFRNpr_BR
Appears in Collections:Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
[2015] SABERES E PRÁTICAS DE MÃES SOBRE A SAÚDE BUCAL NA PRIMEIRA E SEGUNDA INFÂNCIA.pdfTrabalho de conclusão de curso - odontologia 2015.21.88 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.